Semana Disney – Anos 80 (Eduardo Magueta)

O sucesso que veio das profundezas.

A Disney não se pode queixar desta decada. Começaram bem em 1981 com o “The Fox and The Hound”, que teve uma aceitação muito boa por parte do público e acabaram ainda melhor em 1989 com “A pequena Sereia“; filme aliás que marca o inicio de um período fantástico nos filmes de animação Disney.

 

“A Pequena Sereia” não é um filme que aprecie muito no entanto até reconheço que a história chega a ter algum encanto e não nego que a versão brasileira da musica “Under the Sea” cantada pelo caranguejo Sebastião está-me na memória e dou por mim varias vezes a assobiar a sua melodia. Afinal de contas, quem pode esquecer essa musica? Um dos melhores momentos musicais da Disney que acabou por valer á companhia americana dois Óscares. Este foi também um dos primeiros filmes Disney a usar o sistema de colorização digital em imagens criadas á mão, coisa que se tornou prática comum na companhia até a viragem para os filmes totalmente feitos em animação digital a partir de 2000. “A pequena Sereia” marca ainda o regresso da Disney aos contos de fadas, sendo que o ultimo filme baseado num foi “A bela adormecida”, filme lançado trinta anos antes.

 

A concorrência de Don Bluth  feita com “Fievel – Um conto Americano” em 1986 aparentemente foi um aviso de emergência que fez a Disney perceber que estava na hora de se começar a aplicar a sério para poder continuar a manter-se na liderança da animação cinematográfica. E a realização deste filme foi uma boa aposta. A partir daqui, passados alguns filmes menos conseguidos, a Disney volta a atingir o sucesso á larga escala e inicia o período do renascimento dos anos 90 onde os filmes com maior sucesso de bilheteira foram feitos.