«Tangerinas» – A subtileza antibelicista

O realizador e argumentista georgiano Zaza Urushadze leva ao cinema uma história de rivalidade profunda entre georgianos e abecásios, após o colapso da União Soviética, que aumentou com os movimentos de independência da República da Geórgia. “Tangerinas” é um filme belíssimo, que carrega uma forte e clara mensagem antibélica, de uma guerra-civil que matou milhares de pessoas e deixou regiões desertas na Abecásia (região do Cáucaso no norte da Geórgia).

A ação decorre em 1992, numa aldeia despovoada da Abecásia onde dois camponeses, Ivo e Margus, permanecem na região apesar da guerra e das suas famílias e amigos terem fugido. O primeiro permanece por razões sentimentais e segundo para cuidar da sua plantação de tangerinas. Certo dia, durante o conflito, dão guarida a dois soldados grandemente feridos, de facções diferentes. Niko (georgiano) e Ahmed (checheno) são salvos pelos dois camponeses que os juntam na mesma casa, o que vai criar algum conflito entre os dois solados pelas suas desavenças ideológicas. Niko e Ahmed são obrigados a conviver um com o outro até recuperarem, o que lhes vai permitir conhecerem-se melhor e verem a humanidade que existe em cada um.

A narrativa centra-se nestas quatro personagens distintas que vivem agora juntas, acompanhando o seu quotidiano, de forma serena. A tensão que é criada dentro daquela casa vai diminuindo à medida que os dois soldados vão diminuindo a ‘fronteira’ entre cada um, muito devido a Ivo, que se mantém sempre neutro, nunca escolhendo um lado.

Sem momentos de grande ação, de forma subtil e por vezes com humor, o filme tenta mostrar que em qualquer guerra há sempre um ser humano. Não há um lado vencedor e um derrotado, não há heróis e vilões. Há seres humanos, distintos e complexos por vezes. Pretende também evidenciar que as tensões étnicas e ideológicas não deveriam levar a conflito.

O realizador doseia tudo de forma muito subtil, os movimentos de câmara, a paisagem e as cores, a música, os diálogos. O mais curioso neste filme é a subtileza com que é descarregada a mensagem antibelicista e as emocionantes interpretações de todo o elenco, que são de destacar.

“Tangerinas” é um filme com evidentes mensagens pacifistas e de tolerância, que o desfecho final consegue demonstrar. Este filme histórico sobre a Guerra da Abecásia é profundo e humanista, gerando uma interessante reflexão sobre estas temáticas.

Realização: Zaza Urushadze

Argumento: Zaza Urushadze

Elenco: Lembit Ulfsak, Elmo Nüganen, Giorgi Nakashidze, Misha Meskhi

Geórgia/Estónia/2013 – Drama/Guerra

Sinopse: Algumas aldeias foram fundadas por estónios na Abecásia, na segunda metade do século XIX. A guerra entre Georgia e Abecásia deflagrou em 1992 e alterou a vida pacífica dos habitantes estonianos. Muitos escolheram regressar à sua terra natal, deixando as aldeias vazias. O estoniano Ivo foi um dos que ficou, para fazer as colheitas das plantações de tangerinas. Com o conflito à porta, um homem ferido fica para trás e Ivo acolhe-o.

Classificação dos Leitores2 Votes
4