Depois do aclamado e premiado “A Morte de Luís XIV” (2016), o realizador espanhol Albert Serra volta a  Portugal para filmar “Liberté”, “um filme nocturno, um filme de noite, de sombras e de crepúsculo, sobre uma certa aristocracia na véspera da revolução”, segundo Thierry Frémaux, diretor artístico do Festival de Cannes.

A terceira obra de Albert Serra é uma coprodução com a produtora Rosa Filmes e foi inteiramente filmada em Portugal. A rodagem decorreu no Alentejo, no Verão de 2018 contando com participação de uma equipa nacional e internacional, composta por técnicos e atores portugueses, espanhóis, e franceses entre os quais se destaca Helmut Berger, o ator fetiche de Luchino Visconti.

Serra volta a explorar a corte francesa num filme que conta com Francesc Daranas, Catalin Jugravu, Theodora Marcadé, Lluís Serrat, entre outros no elenco.

Liberté situa-se em 1774, poucos anos antes da Revolução Francesa… Um grupo de aristocratas liderados por Madame de Dumeval e Mademoiselle Jenseling é afastado da corte após a subida ao trono de Luís XVI. Partem em busca do lendário Duque de Walchen (Helmut Berger), sedutor e livre pensador alemão, com o objectivo de espalhar as ideias radicais do Iluminismo pela Europa. A ação começa num bosque à noite, que é usado para encontros fortuitos e secretos, no qual o grupo de aristocratas encontra o Duque, que os recebe surpreendido com a sua aparição… Mas uma pergunta vai-se formando ao longo da noite, qual vai ser o limite para as suas práticas libertárias?

“Liberté” tem a sua estreia mundial na seleção oficial do Festival Internacional de Cannes, na secção Un Certain Regard no dia 18 de Maio.