The Paris Rain of Bulgarian animation - 2003 - Sobre Todor Dinov - de Gospodin Nedelchev

Últimos destaques a não perder da MONSTRA 2022

Depois de darmos a conhecer que a MONSTRA recebe a Bulgária como convidada, eis os destaques para os últimos dias do festival que acontece até 27 de março, próximo domingo, em Lisboa.

Depois de uma primeira semana de intensa atividade, onde passaram pela MONSTRA mais de 15 mil pessoas, há ainda quatro dias para desfrutar e uma agenda recheada de cor e do fantástico a preencher as salas de cinema, mas também os museus, as galerias e as universidades.

Amanhã, dia 24 de março, às 16h30, no Cinema São Jorge, destaca-se a sessão Cinema Eletrónico, com a curadoria do maior festival de arte eletrónica do mundo – Ars Electronica Animation Festival -, e que inclui algumas das melhores obras de animação da edição de 2021, caracterizadas pela combinação dos seus conteúdos artísticos com a inovação cultural e tecnológica. A sessão é precedida por uma masterclass de animação expandida, com apresentação do diretor artístico desse festival, Juergen Hagler.

Às 20h, também no São Jorge, conhece-se a primeira longa-metragem do realizador brasileiro Cesar Cabral. “Bob Cuspe, Nós Não Gostamos de Gente“, na corrida à Competição de Longas-metragens, é um documentário em animação de marionetas cuja figura principal é um icónico personagem de banda desenhada dos anos 80, que vive num deserto pós-apocalíptico criado dentro da mente do seu criador, o famoso cartunista brasileiro Angeli. Ainda nesta icónica casa de cinema de Lisboa, às 21h, homenageiam-se os 10 anos do estúdio de animação nacional BAP, através de sete curtas.

Também esta quinta-feira, mas na Cinemateca Portuguesa, dá-se a viagem com o programa Mestres da Animação Búlgara Todor Dinov e Ivan Veselinov, com assinatura e criatividade dos seus contemporâneos Gospodin Nedelchev e Andrey Koulev, através dos filmes “Chuva de Paris da Animação Búlgara” e “O Homem do Cachimbo“, respetivamente.

No dia seguinte, às 22h, na sala nobre do Cinema São Jorge, Manoel de Oliveira, a MONSTRA exibe a dezena de obras de animação portuguesas presente na prestigiada competição Prémio SPA | Vasco Granja. Neste momento muito aguardado no festival, os filmes “Degelo“, de Susana Miguel António e Filipa Gomes da Costa, “O Homem do Lixo“, de Laura Gonçalves – já selecionado também para Annecy 2022 -, “Hillocks“, de Maria Constanza Ferreira, e “Tom Tom“, de João Levezinho, são estreias exclusivas na MONSTRA.

“O Homem do Lixo” de Laura Gonçalves
© Agência da Curta Metragem

Ao final da tarde, na Cinemateca Portuguesa, destaque para “The Czech Year” (“Špalíček”), a primeira e premiada longa-metragem do célebre marionetista checo Jiří Trnka. Para ver na secção Históricos, o filme decorre numa pequena aldeia na Checoslováquia, onde os costumes, lendas e tradições desse lugar são animados através da música, da dança e do canto.

A partir de dia 26, a MONSTRINHA chega para oferecer cinema de animação aos mais novos, a partir dos programas Baby MONSTRINHA (Cinema São Jorge) e Pais e Filhos (Museu Nacional de Etnologia), durante o fim de semana. A noite termina com uma festa na Galeria Zé dos Bois.

Nesta missão de transmitir diversidade e diferença, com criações que apelam à sensibilidade, a MONSTRA preparou três sessões muito especiais também para as famílias, no sábado: “Mamã Gorila” (“The Ape Star”), da realizadora sul-coreana, baseada na Suécia, Linda Hambäck, “Até os Ratos Merecem o Céu” (“Even Mice Belong in Heaven”), dos checos Denisa Grimmová e Jan Bubeníček, e a comemoração dos 50 anos de “Snoopy, Volta a Casa” (“Snoopy, Come Home”), de Bill Melendez.

Já em contagem decrescente, a noite de dia 26 está reservada para a grande cerimónia de encerramento da MONSTRA 2022, em que é revelada, entre outras surpresas, a obra vencedora da competição Prémio SPA | Vasco Granja. A entrada é livre.

Até sábado, mantêm-se as imperdíveis exposições “Desenhos de Animação”, que reúne os trabalhos dos realizadores Anri Koulev e Joanna Quinn e uma coleção dos 10 anos do estúdio de animação nacional BAP, na Sociedade Nacional de Belas Artes, e “30 Anos Animanostra”, que homenageia uma das mais antigas e importantes produtoras de cinema de animação em Portugal, na Galeria Santa Maria Maior.

Domingo, 27, é a última oportunidade para visitar a mostra “Do Outro Lado da Câmara, ‘Os Demónios do Meu Avô'”, e para conhecer os singulares cenários da primeira longa-metragem portuguesa em animação de marionetas, “Os Demónios do Meu Avô“, de Nuno Beato, que a MONSTRA teve a honra de revelar os primeiros 15 minutos na cerimónia de abertura.

Para encerrar o festival com chave de ouro, nesse mesmo dia, no Cinema São Jorge, revisitam-se os filmes premiados das competições da 21.ª edição da MONSTRA, reflexo de uma programação única, rica, inovadora e transdisciplinar.

Mas até lá, há muito por descobrir num calendário extraordinário que pode ser consultado aqui e na app do festival.

Os bilhetes para a MONSTRA estão à venda no Cinema São Jorge, Cinema City Alvalade, Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, Cinemateca Júnior e na Ticketline.

Skip to content