«Um Caso Real» – Um fiel retrato de época

“Um Caso Real”, realizado por Nikolaj Arcel, é um melodrama de época da Dinamarca que tem ganho alguns prémios internacionais, como é o caso do Festival de Berlim, onde venceu o Urso de Prata para Melhor Ator e Melhor Argumento. O filme foi ainda nomeado ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. “Um Caso Real” insere-se no género de filme histórico ou de época, mas poderá surpreender aqueles que apreciam pouco este género de filmes, pois ele tenta fugir a esse estereotipo com uma realização moderna e um argumento, que apesar de previsível, consegue ser bastante cativante e envolvente. Baseado na histórica verídica do rei Christian VII da Dinamarca (Mikkel Boe Folsgaard), um rei louco e incapaz, e sobre a sua mulher jovem Caroline Mathilde (Alicia Vikander) que se envolve num caso amoroso com o médico do rei, este filme faz um fiel retrato daquela época e da realeza dinamarquesa.

A ação decorre na Dinamarca em finais do século XVIII, numa altura em que os ideais iluministas dominavam a Europa. O rei Christian VII é um louco que governa o seu país influenciado pela sua corte conservadora e pouco dada à mudança. Quando o rei regressa de uma viagem pela Europa acompanhado por Struensee (Mads Mikkelsen), o seu novo médico e confidente, a rainha Caroline descobre um inesperado amigo e aliado. A relação entre os dois (amorosa e intelectual) cresce devido aos ideias e gostos que ambos partilham, sendo os ideias iluministas o principal motivador. O médico aproxima-se também bastante do rei, pelo que o convence a dar-lhe mais poder para poder implementar os seus ideias iluministas na corte dinamarquesa, tornando a Dinamarca num país muito á frente do seu tempo. Foi uma utopia que durou pouco tempo.

Podemos não saber nada sobre o que foi o Iluminismo, o pensamento no século das luzes, as influencias dos filósofos Rousseau e Voltaire, nem da história da Dinamarca. No entanto, o filme consegue envolver-nos de tal forma que acreditamos que este é bastante fiel aos fatos históricos, apesar de esta história ser-nos contada sempre pelo ponto de vista da rainha. O filme foca-se portanto entre o trio amoroso e a política dos pensamentos iluministas da época. O que o torna ainda mais interessante é saber que esta história aconteceu mesmo, um caso real portanto.

É de destacar a magnifica fotografia, os cenários e o guarda-roupa e, sem dúvida, o elenco. Este último é talvez o ponto alto do filme, onde assistimos a um desempenho extraordinário do trio principal de atores.

Pessoalmente aprecio bastante filmes de época, apesar de a maioria deles inserirem-se num formato banalizado e eu não conseguir no final ficar-lhes com boas memórias. Daí ficar bastante satisfeito e surpreso com este “Um Caso Real”, um jogo de amor e poder, que é uma notável reconstituição histórica.

Realização: Nikolaj Arcel

Argumento: Bodil Steensen-Leth

Elenco: Alicia Vikander, Mads Mikkelsen, Mikkel Boe Følsgaard

Dinamarca/2012 – Drama

Sinopse: Dinamarca, 1766. Caroline Mathilde é casada com Christian VII, um rei louco e incapaz. Caroline, que o grosseiro rei ignora optando por uma vida escandalosa, habitua-se a uma vida tranquila numa Copenhaga repressiva. Quando o rei regressa de uma viagem pela Europa acompanhado de Struensee, o seu novo médico, a rainha Caroline descobre um inesperado aliado no seu reino. A atracção entre os dois desenvolve-se, inicialmente, por causa dos ideais que ambos partilham, mas transforma-se rapidamente num romance clandestino e apaixonado. Comprometido com os ideais iluministas proibidos na Dinamarca, Struensee convence o rei a dar uso ao seu poder até aí inexplorado para destituir a conservadora assembleia política e levar a cabo mudanças drásticas na sociedade dinamarquesa. Enquanto as cortes planeiam o regresso ao poder e a queda da rainha e de Struensee, são reveladas as consequências deste romance e a nação mudará para sempre.

Classificação dos Leitores0 Votes
3.5