O realizador chinês Wong Kar-Wai anunciou que irá voltar ao cinema no final deste ano, ou no início de 2020, com o drama Blossoms, o primeiro filme que o cineasta irá realizar depois deO Grande Mestre”, de 2013.

“Blossoms” é baseado no romance literário de Jin Yucheng (2013) e conta a história de três residentes da cidade de Xangai no fim da revolução cultural da China, que vai desde a década de 1960 até à década de 1990. Kar-Wai está há quatro anos a trabalhar no argumento para a obra, sendo que esta terá uma componente bastante pessoal.

Xangai é minha cidade natal e o tempo que o livro descreve é o tempo da minha ausência, porque fui para Hong Kong quando tinha 19 anos, em 1963. (…) Eu não estava de volta a Xangai até o início dos anos noventa. Esta é aoportunidade para eu preencher todas as coisas que perdi.

O destaque deste novo projeto é a ligação temática que este terá com os filmes anteriores de Wong, Disponível para Amar (2000) e 2046 (2004). Segundo o cineasta, este será uma terceira parte da história, sendo que esta revelação veio deixar muitos fãs do realizador confusos. Isto acontece porque os dois filmes anteriormente mencionados já fariam parte de uma trilogia informal, tendo começado com o filme de 1990,Days of Being Wild”.

O modo como “Blossoms” se irá relacionar com “Disponível para Amar” deve ficar mais em foco à medida que são escolhidos os membros do elenco e da forma como o processo de produção evoluir.

Em 2017, Wong Kar-Wai afirmou que uma das razões para a demora da escrita do filme é o planeamento que existe de forma a criar um ‘cronograma de envelhecimento’ ao longo do filme. Estou a trabalhar como arquitecto e historiador, isto porque preciso de restaurar e reconstruir a Chinatown de São Francisco e parte de Xangai, que não existe mais. Contudo, o realizador admite que tudo isto “tem sido muito gratificante. É difícil, mas muito interessante.