Lançada a 21 de outubro de 2015 em Portugal, a Netflix chegou aos portugueses com uma oferta muito precária, sobretudo na área do cinema. No entanto, desde a sua chegada que tem vindo a melhorar consideravelmente o seu conteúdo.

No inicio deste mês os filmes da Midas chegaram ao catálogo da Netflix. Entre os filmes presentes estão documentários portugueses, tais como “É o Amor” e “Portugal, um Dia de Cada Vez” de João Canijo e ainda documentários internacionais como “O Sal da Terra” de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado, entre outros.

A Netflix Portugal começa a ter cinema português, para além dos dois filmes de João Canijo, está também disponível o filme “Não é na Terra é na Lua” de Gonçalo Tocha, e os tele-filmes da SIC, “Amo-Te Teresa” e “O Lampião da Estrela”.

Entre o conteúdo de cinema que merece especial atenção da nossa parte, destacamos filmes como “O Artista”, “Conta Comigo”, a trilogia de “O Padrinho”, “Tudo Bons Rapazes”, “Ida”, “A Última Sessão”, “Na Sombra e no Silêncio”, “Há Lodo no Cais”, “Homem Morto”, “A Caça”, “Um Caso Real”, “Aconteceu no Oeste”, “O Fantástico Senhor Raposo”, “A Princesa Mononoke”, “O Conto da Princesa Kaguya” e “Totoro”. Poderemos enumerar mais uma dúzia de filmes que merecem atenção, mas não mais do que isso. A maioria da oferta de cinema na Netflix Portugal é bastante fraca, para não dizer, péssima. De qualquer forma, sente-se que o conteúdo tem vindo a ser alargado para melhor.

No campo das séries de televisão o cenário é bastante diferente, com uma vasta oferta de séries de referência, como “Narcos”, “Breaking Bad”, “Family Guy”, “Downton Abbey”, “The Walking Dead”, “Derek”, “House of Cards”, entre outras.