Disney vai fechar a Blue Sky Studios

Blue-sky-studios

A Disney vai fechar a Blue Sky Studios, um dos mais bem sucedidos estúdios de animação do século XXI, responsável por filmes como “A Idade do Gelo” (2002), “Rio” (2011) e “Ferdinando” (2017), segundo avançou a Deadline.

O estúdio, avaliado em 5,9 mil milhões, pertencia à 20th Century Fox desde 1997, mas foi adquirido pela Walt Disney Company em 2019 quando esta comprou a 20th Century Studio.

Segundo a Deadline a “hierarquia da Disney sentiu que não poderia mais justificar a posse de três estúdios de animação – sendo os outros dois a Pixar e a Walt Disney Animation Studios”. A Disney vai manter a propriedade dos filmes da Blue Sky, estando previsto estrear uma série de “A Idade do Gelo” na Disney+. A Disney vai fechar a Blue Sky Studios em abril deste ano, levando a que cerca de 450 funcionários estejam em risco de perder os seus postos de trabalho. Segundo se sabe, alguns trabalhadores vão ser conduzidos para outros cargos dentro dos estúdios da Disney.

Um porta-voz da Disney disse que “tendo em conta a realidade económica atual, depois de muita consideração e reflexão, nós tomamos a difícil decisão de fechar as operações cinematográficas na Blue Sky Studios”.

Fundada em 1987, a empresa especializada em tecnologia de CGI estreou a sua primeira longa-metragem de animação em 2002 com “A Idade do Gelo”, realizada por Chris Wedge. O filme foi logo um enorme sucesso comercial, tendo registado nas bilheteiras mais de 383 mil milhões de dólares em todo o mundo e foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme de Animação em 2003.

Idade-do-Gelo4-Deriva-Continental-2012-1
“A Idade do Gelo 4: Deriva Continental” (2012)

O sucesso foi imenso, levando a Blue Sky a produzir mais quatro filmes: A Idade do Gelo 2: Descongelados” (2006), A Idade do Gelo 3: Despertar dos Dinossauros” (2009), “A Idade do Gelo 4: Deriva Continental” (2012) e “A Idade do Gelo: O Big Bang” (2016). A terceira sequela de “A Idade do Gelo”, em 2009, foi mais bem sucedida nas salas de cinema, com uma faturação de mais de 886 mil milhões de dólares.

Ficaram para a história da animação personagens incontornáveis como Manny o mamute, Sid a preguiça, Diego o tigre e Scrat o esquilo mudo desesperado por guardar a sua bolota.

Em 2005 estreou “Robôs”, de Chris Wedge e Carlos Saldanha, acumulando mais de 262 mil milhões de dólares em bilheteira. Seguiram-se filmes como “Horton e o Mundo dos Quem!” (2008), “Epic – O Reino Secreto” (2013), “The Peanuts Movie” (2015), “Ferdinando” (2017) e mais recentemente “Armados em Espiões” (2019).

“Rio” (2011)

A Blue Sky produziu ainda outro filme de sucesso, “Rio”, realizado por Carlos Saldanha em 2011. O filme, que decorre todo no Rio de Janeiro como um postal turístico, conta a história de Blu, uma arara-azul macho que é levado para o Rio de Janeiro para acasalar com uma fêmea. “Rio” registou nas bilheteiras mais de 483 mil milhões de dólares em todo o mundo e foi nomeado para o Óscar de Melhor Canção Original. Segui-se ainda a sequela “Rio 2” (2014), que faturou mais de 498 mil milhões de dólares em todo o mundo.

Ao todo a Blue Sky produziu 13 longas-metragens e 10 curtas-metragens.

2002 – Idade do Gelo – 383,257,136 $
2005 – Robôs – 262,511,490 $
2006 – A Idade do Gelo 2: Descongelados – 667,094,506 $
2008 – Horton e o Mundo dos Quem! – 298,572,799 $
2009 –
A Idade do Gelo 3: Despertar dos Dinossauros – 886,686,817 $
2011 –
Rio – 483,866,518 $
2012 – A Idade do Gelo 4: Deriva Continental – 877,244,782 $
2013 – Epic – O Reino Secreto – 268,426,634 $
2014 – Rio 2 – 498,781,117 $
2015 – The Peanuts Movie – 246,233,113 $
2016 – A Idade do Gelo: O Big Bang – 408,754,975 $
2017 – Ferdinando – 296,069,199 $
2019 – Armados em Espiões – 171,616,764 $