© FESTin

FESTin arranca dia 17 em Lisboa e 18 online

O FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa – arranca no dia 17 de novembro no Cinema São Jorge, e de 18 a 21 novembro no Cinema City Alvalade. A plataforma online festinon.com, de 18 a 24 novembro, exibe gratuitamente outras longas de ficção, documentário, curtas e a Mostra Cinema Brasileiro, além da Mostra FESTinha para os pequenos.

De 17 a 24 de novembro – western spaghetti brasileiro, violência doméstica, compra de votos, racismo estrutural, o legado de Marielle Franco, a riqueza da música em português, são alguns dos temas que permeiam as narrativas dos filmes desta edição.

O Festival apresenta este ano 51 filmes de diversos países da CPLP. Destacam-se as 6 longas de ficção com exibição exclusivamente presencial e que concorrem ao Troféu Pessoa, todas inéditas em Lisboa.

Sessões em Lisboa

O filme de abertura é “Jesus Kid“, de Aly Muritiba, comédia que dialoga o western spaghetti e com a chanchada brasileira. As obras de Muritiba já conquistaram mais de 150 prémios em festivais de cinema, e a mais recente delas foi agraciada com o Prémio do Público Venice Days, no Festival de Veneza 2021.

Também competem “A Mulher Sem Corpo“, do realizador português António Borges Correia, longa docuficção que tem como tema a violência doméstica, eleita Melhor Filme do Cinema Português no Fantasporto 2021. Do realizador emigrado Diego Rocha, vem “A Queda“, drama sobre a investigação policial de um fotógrafo forense, que se depara com os dilemas do avô (Gracindo Júnior). “Curral“, do realizador brasileiro Marcelo Brennand, traz o tema da fragilidade do sistema eleitoral nas pequenas cidades, onde predomina a troca de votos por serviços básicos como o fornecimento de água. Com Thomás Aquino (“Bacurau”) no elenco, a longa recebeu prémios de Melhor Filme e Melhor Ator em festivais norte-americanos. “Medida Provisória“, primeira longa do aclamado artista brasileiro Lázaro Ramos, traz um Brasil distópico, com uma “medida de reparação social” que retrata o racismo estrutural desta sociedade. Com a premiada atriz Dira Paes, chega também a Lisboa a longa “Pureza“, de Renato Barbieri, inspirada em fatos reais sobre uma mãe em busca do filho desaparecido em um garimpo na região brasileira do Pará.

Medida Provisória

 

Mais 47 títulos exibidos online gratuitamente

Dentre os documentários, “Sementes: Mulheres Pretas no Poder“, das jovens realizadoras brasileiras Éthel Oliveira e Júlia Mariano, traz o legado da vereadora Marielle Franco, vítima de assassinato político, representada por outras mulheres ativistas na cidade do Rio de Janeiro. A longa portuguesa “Casa Velha“, de César Pedro, apresenta a atmosfera de criação e resiliência de uma associação de artistas do Norte de Moçambique. De Cabo Verde vem a longa “Manuel d’Novas – Coração de Poeta“, de Emanuel Lima Jesus Lopes, que retrata a obra de um dos maiores compositores cabo-verdianos de todos os tempos.

Sementes: Mulheres Pretas no Poder

 

Skip to content