3   +   2   =  

Marco Martins, João Botelho e Edgar Pêra receberão, cada um, um orçamento de 600 mil euros para a produção dos seus novos projetos.

O Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) anunciou a distribuição de 1,8 milhões de euros para a produção de três novas longas-metragens. O conselho diretivo do ICA escolheu “Great Yarmouth. Figuras Provisórias”, de Marco Martins, “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, de João Botelho, e “Não Sou Nada”, de Edgar Pêra.

“Great Yarmouth. Figuras Provisórias”, de Marco Martins, baseia-se na peça de teatro “Provisional Figures. Great Yarmouth”, que o cineasta português concebeu no Reino Unido, numa residência artística para o Festival de Norfolk e Norwich, em passado maio. “Great Yarmouth” é uma reflexão sobre os problemas da emigração em contexto urbano, abalado pela crise socioeconómica, e tem como base as experiências pessoais de emigrantes, especialmente portugueses, que se fixaram na costa este de Inglaterra.

“O Ano da Morte de Ricardo Reis”, de João Botelho, debruçar-se-á sobre o romance homónimo de José Saramago, produzido pela Ar de Filmes, e deverá começar a ser rodado em 2019. O filme marca uma nova incursão do realizador no universo literário, numa carreira já com adaptações de Eça de Queiroz, Agustina Bessa-Luís e Charles Dickens.

“Não Sou Nada”, de Edgar Pêra, será produzido pela Bando à Parte, e assinala o regresso do realizador à obra de Fernando Pessoa.

Os concursos de apoio ao Cinema de 2018 abriram no passado dia 30 de maio, com vários meses de atraso, contando com 19 milhões de euros a repartir por vários programas.