“Mal Viver”, de João Canijo, é o filme português mais visto do ano

Mal-Viver-Joao-Canijo-2022-1 Mal-Viver-Joao-Canijo-2022-1

“Mal Viver”, de João Canijo, alcançou o primeiro lugar do ranking nacional dos filmes mais vistos em 2023, segundo dados oficiais do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), até ao dia 11 de junho.

Visto por cerca de 13 mil espectadores, o filme ultrapassa assim “Amadeo”, de Vicente Alves do Ó, que liderou o ranking nacional durante vários meses com quase 13 mil bilhetes vendidos. Já o segundo filme de Canijo “Viver Mal”, foi visto até ao momento por 8624 espectadores, ocupando o quarto lugar dos mais vistos de 2023.

Se juntarmos os dois filmes, o díptico de João Canijo, estreado a 11 de maio, soma mais de 21 mil espectadores e acumula uma receita bruta de 100 mil euros. Contudo, o díptico não consegue ainda alcançar o anterior trabalho de Canijo, o badalado “Fátima” (2017), que foi visto por mais de 24 mil espectadores nas salas de cinema.

Ambas as obras da Midas Filmes continuam em exibição em Coimbra, Porto e Lisboa e com algumas sessões especiais pelo resto do país.

Com um elenco de luxo, os dois filmes contam com Rita Blanco, Anabela Moreira, Cleia Almeida, Vera Barreto, Madalena Almeida, Nuno Lopes, Beatriz Batarda, Leonor Silveira, Rafael Morais, Lia Carvalho, Filipa Areosa, Carolina Amaral e Leonor Vasconcelos.

“Mal Viver” conta a história de uma família de cinco mulheres que herdaram um hotel e que o tentam salvar da ruína, vivendo nele um conflito antigo e irresolúvel durante um fim de semana, enquanto os clientes vão e vêm.

Se em “Mal Viver” o foco é a família dona do hotel e as suas relações frágeis, à beira do colapso, “Viver Mal” é um espelho desse filme, invertendo-se a perspetiva para os clientes do hotel, que no primeiro eram quase fantasmas, figurantes, passando a ter agora o papel de protagonistas neste segundo filme.

João Canijo recebeu o Urso de Prata – Prémio do Júri no Festival de Berlim 2023, pelas duas obras.

Os 10 filmes nacionais mais vistos de 2023 (até 11 de junho):

  1. Mal Viver, de João Canijo
  2. Amadeo, de Vicente Alves do Ó
  3. Ice Merchants, de João Gonzalez
  4. Viver Mal, de João Canijo
  5. Great Yarmouth – Provisional Figures, de Marco Martins
  6. A Noiva, de Sérgio Tréfaut
  7. Posso olhar por ti, de Francisco Lobo Faria
  8. Nayola, de José Miguel Ribeiro
  9. O Que Podem as Palavras, de Luísa Marinho, Luísa Sequeira
  10. Interdito a Cães e Italianos, de Alain Ughetto
Skip to content