Monstros de Dumbledore © 2021 Warner Bros. Entertainment Inc. All Rights Reserved

“Monstros Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore” divide crítica

Depois do sucesso da saga de livros e filmes de “Harry Potter”, o terceiro filme da prequela cinematográfica, “Monstros Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore” realizado por David Yates, estreou em Portugal em número 1, contando com mais de 64 mil espetadores no seu fim de semana de abertura (9 e 10 de abril).

Apesar de “Os Segredos de Dumbledore” conseguir uma pontuação no Tomatometer melhor do que seu antecessor “Os Crimes de Grindelwald” (2018), muitos críticos ainda não ficaram impressionados com a obra de David Yates. Falando por muitos dos críticos que não amaram o filme, a Entertainment Weekly declarou que “a terceira vez não é exatamente o charme”.

Em números, a série “Harry Potter” é inegavelmente uma das franquias cinematográficas mais queridas de todos os tempos. Assim, qualquer filme relacionado à série enfrentará intenso escrutínio por críticos e fãs.

Michael Gambon e Daniel Radcliffe como Dumbledore e Harry Potter em Príncipe Misterioso

A franquia “Harry Potter” reúne nove filmes e supera as cifras de outras sagas, como Star WarsJames Bond e O Senhor dos Anéis. Com bilheteria de US$ 8,5 bilhões, só perde para o Universo Cinematográfico da Marvel, que, por ora, agrega 27 longas. Ao todo, a saga atraiu 14 indicações ao Oscar, sempre em categorias técnicas, como trilha sonora, direção de arte e efeitos visuais. O primeiro prêmio só veio em 2017 com o troféu de melhor figurino para “Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los”.

Nesse aspecto, o primeiro filme da prequela, “Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los”, de 2016, se saiu muito bem com os críticos, ganhando uma pontuação de 74% no Tomatometer no Rotten Tomatoes. No entanto, o filme seguinte, “Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald” não chegou nem perto de alcançar o mesmo tipo de sucesso com os espectadores – ele detém apenas 36% de pontuação no Tomatometer.

Eddie Redmayne em Monstros Fantásticos e os Segredos de Dumbledore

Mas, então, como o próximo “Segredos de Dumbledore” se compara aos seus antecessores quando se trata de consenso crítico? Bem, em números, o terceiro filme da quintologia cai bem no meio com uma pontuação de 62% no Tomatometer. Porém, convém comentar que é muito cedo para um veredicto final, pois parece que os críticos estão seriamente divididos sobre os méritos do novo filme da prequela.

 

Em meio a tudo isso, o Cinema Sétima Arte reuniu as principais críticas até o momento:

 

Kate Erbland, do IndieWire, escreveu que o filme oferece “uma mistura pesada e inquietante de temas adultos e caprichos infantis, ainda mais inescrutável por muitas subtramas, muitos personagens e um tom que muda descontroladamente. fora de curso em todas as curvas possíveis.” Erbland acrescenta que a série ainda não conseguiu “casar efetivamente seus fios díspares”.

Enquanto isso, Charles Bramesco da Polygon primeiro sugere que a série deveria ter terminado após o último filme antes de apontar que Newt – que começou a série como protagonista – dificilmente parece entrelaçado no enredo aqui. Observando que seu extravio prejudica o filme como um todo, Bramesco escreveu: “A busca complicada e anticlimática de Newt para garantir e entregar sua preciosa carga carece da curiosidade encantada que deu ao primeiro ‘Animais Fantásticos’ um impulso muito necessário no charme”.

Finalmente, em uma crítica contundente, Siddhant Adlakha do IGN escreveu: “Há mais duas entradas planejadas, mas terminar o spinoff de ‘Harry Potter’ aqui seria uma misericórdia. Não há nada fantástico no novo filme. A história é monótona. Os personagens são mais maçantes.”

 

Críticas positivas:

Mesmo que a Entertainment Weekly tenha sugerido que o filme falhou, a escritora Leah Greenblatt ainda foi uma das críticas a encontrar alguns méritos – ela concluiu na nota que “Os Segredos de Dumbledore” é um grande passo em relação ao seu antecessor, considerando-o “mais ágil”. e mais doce e coeso em seu enredo.” Greenblatt também observou que o elenco, porque eles estão “menos presos em uma névoa de simbolismo e subtramas semiformados”, recebem mais espaço para explorar realisticamente as apostas que seus personagens enfrentam.

Além disso, sobre o assunto da atuação, Peter Debruge da Variety observou que Mads Mikkelson é mais adequado para o personagem de Gellert Grindelwald do que Johnny Depp, que interpretou o personagem no filme anterior. (Depp saiu da franquia depois de perder um caso de difamação sobre comportamento abusivo contra sua ex-esposa Amber Heard, conforme relatado pela EW).

Mads Mikkelsen como Grindelwald

Debruge escreveu que Mikkelson oferece uma “veia mais fundamentada, menos caricaturalmente ameaçadora”. Debruge também se juntou a Greenblatt ao abordar as maneiras pelas quais o novo filme é superior ao que veio antes dele, escrevendo que o roteiro é “muito mais focado” e “mais fácil de seguir” do que o último.

Em uma das críticas mais positivas – 4 de 5 estrelas – Linda Marric do The Jewish Chronicle chamou de “bem-vindo retorno à forma” e elogiou especialmente as performances de Law e Mikkelson. Marric continuou: “Yates, Rowling e Kloves nos deram uma história envolvente repleta de algumas sequências de ação engraçadas, sinceras e emocionantes”.

Skip to content