Aproximamo-nos do final do verão e da chegada do outono. Depois de um mês de agosto dedicado mais aos blockbusters nos cinemas, estes vão poder agora oferecer-nos outras cinematografias de diversos países, autores e filmes multi premiados. Nos próximos quatro meses vão estrear nas salas de cinema portuguesas vários filmes, entre nacionais e estrangeiros, como “Cartas da Guerra” de Ivo M. Ferreira, “Café Society” de Woody Allen, “Julieta” de Pedro Almodóvar, “Ah-ga-ssi” de Chan-wook Park, “O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu” de João Botelho, “Animais Noturnos” de Tom Ford, “Silêncio” de Martin Scorsese e “The Beatles: Eight Days a Week-The Touring Years” de Ron Howard.

Estes são os 25 filmes que não vamos querer perder entre setembro e dezembro de 2016:

1 setembro

11 Minutos, de Jerzy Skolimowski (Polónia, Irlanda)
Sinopse: Um marido ciumento e descontrolado, a atriz que é sua esposa, um realizador americano, um impiedoso traficante, uma jovem desorientada, um ex-presidiário vendedor de cachorros quentes, uma estudante com uma missão misteriosa, um limpa-janelas envolvido esquemas ilícitos, um velho artista, uma equipa de paramédicos e um grupo de freiras esfomeadas. Uma amostra transversal dos habitantes da Varsóvia contemporânea que se cruza durante 11 decisivos minutos.

Cartas da Guerra, de Ivo Ferreira (Portugal)
Sinopse: 1971. António vê a sua vida brutalmente interrompida quando é incorporado no exército português, para servir como médico numa das piores zonas da guerra colonial – o Leste de Angola. Longe de tudo que ama, escreve cartas à mulher à medida que se afunda num cenário de crescente violência. Enquanto percorre diversos aquartelamentos, apaixona-se por África e amadurece politicamente. A seu lado, uma geração desespera pelo regresso. Na incerteza dos acontecimentos de guerra, apenas as cartas o podem fazer sobreviver.

8 setembro

Kubo e as Duas Cordas, de Travis Knight (EUA)
Sinopse: Kubo vive humildemente contando histórias fantásticas às pessoas da sua sonolenta aldeia à beira-mar e cuidando da mãe. A sua calma existência é perturbada quando acidentalmente convoca um espírito do passado que desce dos céus para cumprir uma vingança ancestral. De súbito, vê-se obrigado a fugir de deuses e monstros enquanto procura a armadura mágica que pertencia ao seu pai, o maior de todos os samurais.

Milagre no Rio Hudson, de Clint Eastwood (EUA)
Sinopse: Em 2009, um avião comercial parte do aeroporto de La Guardia, em Nova Iorque. Durante a subida, o aparelho cruza-se com um bando de gansos. O encontro com as aves avaria ambos os motores e um deles incendeia-se. Sem tempo para regressar à origem, ou optar por uma pista alternativa, o comandante opta por uma aterragem de emergência no Rio Hudson.

The Smell of Us – O Cheiro de Nós, de Larry Clark (EUA)
Sinopse: Paris, Trocadéro. Math, Marie, Pacman, JP, Guillaume e Toff encontram-se todos os dias no Dôme, por trás do Palais de Tokyo. Andam de skate, divertem-se, fumam droga, a dois passos do mundo das artes que tocam sem conhecer. Alguns são inseparáveis, ligados pelas vidas de famílias complicadas. Vivem o instante e Toff filma tudo, a todo o momento.

15 setembro

Salsicha Party, de Conrad Vernon, Greg Tiernan (EUA)
Sinopse: Uma salsicha descobre a terrível verdade sobre a sua existência e o que realmente acontece quando são escolhidos para sair do supermercado. Perante o cruel destino que os espera, lidera um grupo de produtos condenados e procura regressar à prateleira antes do apocaliptíco feriado do 4 de julho.

Se as Montanhas se Afastam, de Jia Zhangke (China)
Sinopse: A história tem início nos anos 1990 e segue um jovem casal apaixonado. Ela abandona a relação para se casar com o rico proprietário de uma mina. Mais tarde, ele vê-a novamente, no leito de morte; está divorciada e o filho vive emigrou. A história salta para o futuro. O filho dela vive na Austrália, no ano de 2025. A única palavra em chinês de que ainda se lembra é o nome da sua mãe. Filme selecionado para a competição oficial do Festival de Cannes 2015.

The Beatles: Eight Days a Week-The Touring Years, de Ron Howard (Reino Unido, EUA)
Sinopse: Todos conhecemos esse momento histórico. A 9 de fevereiro de 1964, quatro jovens de Liverpool subiram ao palco do programa de Ed Sullivan e mudaram a cultura popular para sempre. 73 milhões de pessoas viram os Beatles na transmissão televisiva com maior audiência de sempre. Após a apresentação ao público americano, a banda fez algo que os iria apresentar ao resto do mundo, transformando permanentemente a industria musical: foram em digressão. “The Beatles: Eight Days a Week” conta a história desses anos em que, entre 1962 e 1966, atuaram 815 vezes em 15 países e 90 cidades. Um retrato do impacto que a digressão teve nos Beatles, a nível pessoal e artístico. Como funcionavam como banda, como tomavam decisões, criavam música e construiam uma carreira em conjunto. O documentário, que conta com imagens inéditas da digressão, relata esses anos excecionais sob o ponto de vista da banda, daqueles que orbitavam ao seu redor, dos fans e da época em que aconteceram. Realizado por Ron Howard (“Uma Mente Brilhante”, “No Coração do Mar”, “Rush”).

22 setembro

Julieta, de Pedro Almodóvar (Espanha)
Sinopse: Julieta vive em Madrid com a filha Antía. Ambas sofrem em silêncio a perda de Xoan, o pai de Antía e marido de Julieta, mas às vezes a dor não aproxima as pessoas, afasta-as. Quando faz dezoito anos, Antía abandona a mãe sem uma palavra. Julieta olha para ela de todas as maneiras possíveis, mas tudo o que descobre é o quão pouco conhece a sua filha. “Julieta” fala sobre a luta da mãe para sobreviver à incerteza. Fala do destino, de complexos de culpa e daquele mistério insondável que nos leva a abandonar as pessoas que amamos, apagá-las de nossas vidas como se nunca tivessem significado nada, como se nunca tivessem existido.

Os Sete Magníficos, de Antoine Fuqua (EUA)
Sinopse: A cidade de Rose Creek encontra-se sob o cruel domínio do industrial Bartholomew Bogue (Peter Sarsgaard). Desesperada, a população contrata sete marginais, caçadores de prémios, jogadores e pistoleiros a soldo, para os protegerem: Sam Chisolm (Denzel Washington), Josh Faraday (Chris Pratt), Goodnight Robicheaux (Ethan Hawke), Jack Horne (Vincent D’Onofrio), Billy Rocks (Byung-Hun Lee), Vasquez (Manuel Garcia-Rulfo) e Red Harvest (Martin Sensmeier). Enquanto preparam a cidade para o confronto violento que sabem estar a aproximar-se, os sete mercenários acabam a lutar por algo mais do que apenas dinheiro.

13 outubro

Cézanne e Eu, de Danièle Thompson (França)
Sinopse: Paul é rico. Emile é pobre. Deixam Aix, e sobem até Paris, entrar na privacidade das pessoas de Montmartre e Batignolles. Assombram os mesmos lugares, dormem com as mesmas mulheres, cuspem sobre os burgueses, tomam banho nús, passam fome e depois comem demais, bebem absinto, desenham durante o dia os modelos que acariciam noite, e viajam trinta horas para ver um por do sol. Hoje, Paul é pintor. Emile é escritor. A glória passou sem olhar para Paul. Emile tem tudo: fama, dinheiro, e uma mulher perfeita que Paul já amou.

O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu, de João Botelho (Portugal)
Sinopse: “Uma fotografia velha, de 36 anos. A mão dele no meu ombro. Bênção, dádiva. Depois, uma longa história de mais de quatro décadas de amizade, admiração e aprendizagem. Uma viagem ao cinema de Oliveira, ao seu método, ao seu modo de filmar, às suas prodigiosas invenções cinematográficas. Mais de um século de vida, mais de um século de cinema, todo o cinema. A sorte e o saber dele, a minha sorte. E como, para ele, e agora para mim, documentário e ficção vão de par – de cinema se trata – atrevi-me a filmar uma história magnífica, que o Manoel amava mas que nunca filmou, que deixou para trás. Como se a mão dele e os seus olhos lá perto de Deus, ou no meio dos Deuses, me conduzissem. Para que, ainda hoje, ele possa, através de mim, continuar a filmar.” (João Botelho)

20 outubro

Avril et le Monde Truqué, de Franck Ekinci, Christian Desmares (Canadá, França, Bélgica)
Sinopse: 1941. O mundo é radicalmente diferente do descrito na História habitual. Napoleão V reina em França, onde, como em todo o mundo, desde há 70 anos os cientistas desaparecem misteriosamente, privando a humanidade de grandes invenções. Sem rádio, televisão, eletricidade, aviação ou motores de combustão, é um universo preso a uma tecnologia ultrapassada, como que adormecido no conhecimento do século XIX, governado pelo carvão e pelo vapor. É nesse mundo estranho que uma jovem, Abril, parte em busca dos pais, dois cientistas desaparecidos, na companhia de Darwin, o seu gato falante, e de Julius, um jovem das ruas. O trio vai enfrentar os perigos e mistérios desse mundo extraordinário. Quem raptou os cientistas durante décadas? Por que plano sinistro?

Café Society, de Woody Allen (EUA)
Sinopse: A história de um jovem que chega a Hollywood durante os anos 30, na esperança de trabalhar na indústria do cinema. Apaixona-se e descobre-se envolvido no vibrante ambiente que definiu o espírito daquela era.

27 outubro

Juste La Fin Du Monde, de Xavier Dolan (Canadá)
Sinopse: Após 12 anos de ausência, um escritor regressa a casa para anunciar que está a morrer.

3 novembro

São Jorge, de Marco Martins (Portugal)
Sinopse: Um boxeur, desempregado de longa duração, aceita um emprego numa empresa de cobranças difíceis para poder pagar as suas próprias dívidas.

Sao Jorge 2016_2

10 novembro

Chocolate, de Roschdy Zem (França)
Sinopse: Em plena Belle Époque, Chocolat (Omar Sy) torna-se no primeiro palhaço negro em França e conquista as audiências da época. No entanto, o dinheiro fácil, o vício do jogo e a descriminação racial depressa  ameaçam a sua carreira.

Hitchcock/Truffaut, de Kent Jones (EUA)
Sinopse: Em 1962, Hitchcock e Truffaut encontram-se longe de Hollywood durante uma semana para esmiuçar os segredos por detrás da encenação no cinema. Com base nas gravações originais deste encontro – usado para produzir o mítico livro Hitchcock / Truffaut – este filme ilustra a maior lição de cinema de todos os tempos, levando-nos a viajar pelo universo do criador de Psycho, Os Pássaros e Vertigo. A arte incrivelmente moderna de Hitchcock é escrutinada e explicada pelos principais cineastas da actualidade: Martin Scorsese, David Fincher, Arnaud Desplechin, Kiyoshi Kurosawa, Wes Anderson, James Gray, Olivier Assayas, Richard Linklater, Peter Bogdanovich e Paul Schrader.

17 novembro

Animais Noturnos, de Tom Ford (EUA)
Sinopse: Susan Morrow (Amy Adams) é surpreendida com uma encomenda que contém o manuscrito do primeiro livro escrito pelo ex-marido. Ao ler o manuscrito, Susan começa a embrenhar-se no interior da vida de Tony Hastings (Jake Gyllenhaal), um personagem de ficção. Uma violenta mudança de rumo na vida pessoal vai conduzir a que Susan seja obrigada a confrontar o seu próprio passado. O título do filme remete para uma das histórias presentes no livro.

nocturnal-animals-2

24 novembro

Vaiana, de Ron Clements, John Musker (EUA)
Sinopse: Nas antigas ilhas do Pacífico Sul da Oceânia, Moana Waialiki, uma navegadora nata e filha única do chefe, embarca na procura de uma ilha lendária. Durante a viagem, une-se ao seu herói, o lendário semideus Maui, para atravessarem o mar aberto numa viagem cheia de acção em que encontram enormes criaturas marinhas, submundos empolgantes e mitos antigos.

1 dezembro

Aliados, de Robert Zemeckis (EUA)
Sinopse: Em 1942 Max (Brad Pitt), um espião franco-canadiano, apaixona-se e casa com a agente francesa Marianne (Marion Cotillard), depois de uma missão em Casablanca. Logo a seguir, Max é notificado de que Marianne é provavelmente uma agente dupla ao serviço dos nazis e começa a investigá-la.

8 dezembro

Taklub, de Brillante Ma. Mendoza (Filipinas)
Sinopse: Após a passagem do tufão Haiyan, o maior conhecido até à data que devastou a cidade de Tacloban, nas Filipinas, a vida de Bebeth, Larry e Erwin irá cruzar-se. Bebeth está à procura de três dos seus filhos, e tenta identifica-los através da análise ao ADN dos corpos enterrados em valas comuns. Larry, que perdeu a esposa, encontra consolo ao aderir a um grupo de católicos devotos que carregam a cruz por toda a cidade. Erwin, com o seu irmão mais velho, procura esconder da sua irmã mais nova a morte dos pais. Como se a perda da sua família não bastasse, uma série de acontecimentos continuará a por à prova a sua resistência, tal como a das restantes pessoas, que aguardam o momento em que poderão secar as lágrimas que fluem, lentamente.

15 dezembro

Ah-ga-ssi, de Chan-wook Park (Coreia do Sul)
Sinopse: 1930, Coreia do Sul, durante o período de ocupação japonesa. Sook-hee é contratada como criada da rica herdeira japonesa Hideko, que vive isolada numa propriedade com o seu dominador tio Kouzuki. Mas a empregada tem um segredo. Ela e um vigarista, que se apresenta como um Conde japonês, planeiam combinar um noivado, roubar a senhora e trancá-la num hospício. Tudo corre de acordo com o plano até Sook-hee começar a compreender verdadeiramente Hideko.

La La Land, de Damien Chazelle (EUA)
Sinopse: Em Los Angeles, Sebastian (Ryan Gosling), um pianista de jazz, apaixona-se por Mia (Emma Stone), uma aspirante a atriz.

29 dezembro

Silêncio, de Martin Scorsese (EUA)
Sinopse: “Silence” é a adaptação ao cinema do romance com o mesmo título do japonês Shusaku Endo, publicado em 1966, sobre a presença dos jesuítas no Japão durante o século XVII. O protagonista é um jovem monge português, Sebastião Rodrigues, enviado para aquele país com a tarefa de investigar rumores de que o seu mentor, Frei Cristovão Ferreira, teria renegado a fé cristã.

Silence 2016