“Os Humores Artificiais”, realizado por Gabriel Abrantes, recebeu o Grande Prémio do Júri, composto por Beatriz BatardaCláudia Lucas Chéu e Sérgio Tréfaut, que justificou assim a sua decisão: “Um filme que se deseja que chegue ao grande público, através do seu carácter provocador e humor inusitado, constrói uma alegoria surpreendente sobre as várias formas de comunicação entre uma indígena e um robot.”

O filme “Tudo o que Imagino”, de Leonor Noivo, foi premiada com uma Menção Honrosa, por ser “um filme generoso sobre o final da adolescência que nos abre portas de um universo de quem vive à margem, e que conta com um jogo de improvisação habilidoso e ágil”. A curta-metragem “Surpresa” de Paulo Patrício venceu o Prémio do Público.

Na Competição Internacional, o Prémio de Melhor Curta foi atribuído ao filme de animação polaco “The Wizard of U.S.”, realizado por Balbina Bruszewska. O júri, composto por Ana DavidJoão Ferreira e Margarida Leitão considerou que é “um filme arrojado e profundamente livre de diferentes dispositivos de animação, baseado em elementos documentais transpostos para o universo ficcional de “O Feiticeiro de Oz” e da Disney. Como resultado temos um raro objecto de fusão de géneros cinematográficos, com uma forte ironia e crítica social de uma enorme humanidade.

O Festival continua até ao dia 18 de abril, no Cinema Ideal, em Lisboa, com uma retrospectiva da obra do realizador austríaco Ulrich Seidl, com sessões às 22h. No dia 17 de abril, às 22h, vão ser exibidos os filmes vencedores da 8ª edição do Córtex – Festival de Curtas Metragens de Sintra,

PALMARÉS CÓRTEX 2018

Competição Nacional
Grande Prémio do Júri
Os Humores Artificiais, de Gabriel Abrantes
Menção Honrosa
Tudo o que Imagino, de Leonor Noivo
Prémio do Público
Surpresa, de Paulo Patrício

Competição Internacional
Melhor Curta
The Wizard of U.S., de Balbina Bruszewska

Competição Mini-Córtex
Prémio Mini-Córtex
In a Heartbeat, de Esteban Bravo e Beth David

Fonte: Córtex