"Dios por el cuello" (2013)_1 A 11ª edição do Arouca Film Festival terminou este domingo, atribuindo a Lousa de Ouro, o prémio mais importante do certame, à curta espanhola “Dios por el cuello” de José Trigueiros. O realizador português viu ainda o seu filme vencer em mais duas categorias, Melhor Filme de Ficção e Melhor Argumento. A selecção deste ano contou com 41 curtas-metragens em competição, oriundas de 9 países diferentes.

 

Lousa de Ouro (Melhor Filme do Festival)

Dios por el cuello, de José Trigueiros (Espanha)

Lousa de Prata (Segundo Melhor Filme do Festival)

Second wind, de Sergey Tsyss (Rússia)

Melhor Filme Ficção

Dios por el cuello, de José Trigueiros (Espanha)

Melhor Filme Documentário

Santa Maria dos Olivais, de Susanne Malorny (Alemanha)

Melhor Filme Videoclip

Eles comem tudo, de Raquel Palermo & Sofia Bairrão (Portugal)

Melhor Filme Animação

Linear, de Amir Admoni (Brasil)

Melhor filme Experimental

Second wind, de Sergey Tsyss (Rússia)

Melhor Realização

Nulle Part, de Stefan Le Lay (França)

Melhor Fotografia

Horizonte, de Aitor Uribarri (Espanha)

Melhor Representação (coletivo)

Uma noite na praia, de São José Correia (Portugal)

Melhor Argumento

Dios por el cuello, de José Trigueiros (Espanha)

Melhor Edição

El Rastrillo se quiere comprometer, de Santi Veiga (Espanha)

Prémio do Público

1º Melhor filme: Alma perturbada, de Luis Teixeira (Portugal)

2º Melhor filme: 50 pesos argentinos, de Bernardo Cabral (Portugal)

Menção Honrosa: O milagre, de Francisco Lança (Portugal)