Atrizes iranianas Hengameh Ghaziani e Katayoun Riahi presas após removerem publicamente os lenços

Hengameh Ghaziani © AFP
Hengameh Ghaziani © AFP
Last updated:

Hengameh Ghaziani e Katayoun Riahi, duas destacadas atrizes iranianas, foram detidas após retirarem publicamente os lenços e mostrarem o cabelo nas redes sociais.

Katayoun Riahi
Katayoun Riahi

O Irão continua, pois, o seu percurso repressivo, detendo as duas proeminentes atrizes por demonstrarem o seu apoio aos atuais protestos a favor da liberdade das mulheres, na sequência da morte da jovem Mahsa Amini, no passado mês de setembro.

Hengameh Ghaziani e Katayoun Riahi foram detidas sob acusações de conspiração e de agirem contra as autoridades do Irão, mas não são as únicas, infelizmente, a fazê-lo a sofrer consequências por isso – também Taraneh Alidoosti e a veterana Katayoun Amir Ebrahimi.

Hengameh Ghaziani, atriz galardoada e conhecida por “As Simple as That” (2008) e “Days of Life” (2012), tem sido especialmente crítica em relação à atuação policial violenta sobre os manifestantes e partilhou no seu perfil de instagram um vídeo onde mostra ostensivamente o seu cabelo.

Katayoun Riahi, que ganhou o prémio de Melhor Atriz no Festival de Cinema do Cairo em 2002, pelo seu papel em “The Last Supper”, foi uma das grandes atrizes a tomar uma posição pública em apoio às ações dos manifestantes e publicou recentemente uma fotografia sua nas redes sociais sem lenço a cobrir o cabelo.

Ghaziani é uma das oitos pessoas que foram chamadas a prestar declarações às autoridades por colocarem material considerado provocador nas redes sociais, juntando-se-lhe ainda outros atores, como Mitra Hajjar e Baran Kosari.

Significativamente, no início do jogo do Irão com a Inglaterra, no Mundial de Futebol a decorrer no Catar, a seleção do país optou por não cantar o seu próprio hino, em solidariedade para com os protestos antigovernamentais.

Os protestos no país não mostram sinais de abrandamento e, de acordo com a Organização Não Governamental Iran Human Rights, pelo menos 378 manifestantes foram mortos até à data, sendo 58 menos de 18 anos – embora os números não sejam conclusivos e são díspares de fonte para fonte.

Skip to content