Cesária Évora abre as hostes do IndieMusic 2022

No ano em que o IndieLisboa regressa nas suas datas regulamentares, foi anunciada a lista de filmes que farão parte do IndieMusic na edição do festival para 2022.

indielisboa 2022

O IndieMusic está de volta com uma seleção de filmes que fazem a ponte entre a música e o cinema, para ver de 28 de abril a 8 de maio na décima nona edição do Festival.

A abrir a competição, “Cesária Évora“, de Ana Sofia Fonseca. Nome maior da morna, a diva cabo-verdiana é um exemplo de quem lutou toda a vida contra preconceitos. Através da cantora, o documentário cruza vários contextos sociais e políticos.

Há ainda tempo para “Songs For Drella“, atuação de Lou Reed e John Cale captada em 1991 por Ed Lachman, mostrada em versão restaurada, ou a revisitação de cinquenta anos de carreira de Patti Smith em “Patti Smith, Electric Poet“, de Anne Cutaia e Sophie Peyrard.

Foco ainda para o documentário sobre Courtney Barnett, mais jovem mas igualmente icónica em “Anonymous Club“, a antítese de uma biografia rock de Danny Cohen. O filme mostra uma cantautora enigmática, uma reclusa a lidar com a aclamação do público.

Anonymous Club
“Anonymous Club”

Italo Disco. The Sparkling Sound of the 80s“, de Alessandro Melazzini, transporta o público para a música de Sabrina e La Bionda e o imaginário muito particular do Italo Disco, com os seus ritmos agressivos e sintetizadores eufóricos.

Da autoria de Gabin Rivoire, há espaço para mostrar “Laurent Garnier: Off the Record“, de Gabin Rivoire, que traça a longa carreira do DJ e produtor francês, um dos maiores nomes da explosão house dos anos 90.

No campo do cinema português, “Batida Apresenta: The Almost Perfect Dj“, de Pedro Coquenão, uma curta baseada na atuação com o mesmo título ou “Sonosfera Telectu“, em estreia mundial e realizado por Carlos Mendes, Ilda Teresa Castro, Vasco Bação, e pelo próprio Vítor Rua.

A Escuta“, de Inês Oliveira, também em estreia mundial, acompanha um dos nomes mais importantes da música experimental portuguesa, o violinista Carlos “Zíngaro”, que também atua no dia de exibição, na Culturgest.

Ainda no âmbito do IndieLisboa, a dupla Alexandra Cabral e Ian Svenonius actua no Musicbox com o projecto Escape-ism, a 6 de maio, estando os bilhetes já estão disponíveis.

The Lost Record
“The Lost Record”

Alexandra Cabral e Ian Svenonius, o antigo vocalista dos The Make-up e Nation of Ulysses, exploram o cinema conceptual com “The Lost Record“.

Por fim, “Love, Deutschmarks and Death“, de Cem Kaya, documenta a desconhecida cena musical resultante da emigração turca para a Alemanha, perpetuada ainda pelos netos dessa primeira vaga de emigrantes.

O júri desta edição é composto pelo radialista Ricardo Mariano, da Rádio SBSR, a artista visual e compositora Diana Policarpo e Francisca Salema, também conhecida por Sallim, artista multidisciplinar que associamos à editora lisboeta Cafetra, com quem editou dois discos a solo.

Abaixo, a lista completa dos filmes IndieMusic 2022:

Anonymous Club“, de Danny Cohen
Batida Apresenta: The Almost Perfect Dj“, de Pedro Coquenão
Cesária Évora“, de Ana Sofia Fonseca
A Escuta“, de Inês Oliveira
Italo Disco. The sparkling sound of the 80s“, de Alessandro Melazzini
Laurent Garnier: Off the Record“, de Gabin Rivoire
The Lost Record“, de Alexandra Cabral e Ian F Svenonius
Love, Deutschmarks and Death“, de Cem Kaya
Nothing Compares“, de Kathryn Ferguson
Patti Smith, Electric poet“, de Anne Cutaia e Sophie Peyrard
Rewind and Play“, de Alain Gomis
Songs for Drella“, de Ed Lachman
Sonosfera Telectu“, de Vasco Bação, Vítor Rua e Ilda Teresa Castro

Skip to content