O destaque da semana vai para um dos filmes mais aguardados do ano, “A Morte de Luís XIV”, realizado pelo catalão Albert Serra (“Honra de Cavalaria”, “O Canto dos Pássaros”, “História da Minha Morte”). Uma co-produção entre Portugal, França e Alemanha que conta com Jean-Pierre Léaud como protagonista (homenageado com a Palma de Honra na edição de 2016 do Festival de Cinema de Cannes, onde o filme foi apresentado numa sessão especial), e conta ainda com a participação de Patrick d’Assumçao, Marc Susini, Bernard Belin, Vicenç Altaió e Irène Silvagni, entre outros. “A Morte de Luís XIV” estreia hoje nas salas de cinema nacionais.

Em Agosto de 1715, Luís XIV – o rei absolutista de França e Navarra, também conhecido como rei-Sol – começa a sentir fortes dores numa perna. Apesar de continuar a exercer as funções de governante, o seu estado de saúde agrava-se rapidamente. Cada dia mais fraco, vê-se rodeado por médicos, que se esforçam por encontrar um meio de o curar, assim como vários membros da corte. Porém, a 1 de Setembro desse mesmo ano, depois de semanas agonizantes devido ao desenvolvimento de gangrena, acaba por morrer. Termina assim um reinado de 72 anos, um dos mais longos da história europeia. Com a morte do rei-Sol, é Luís XV, o bisneto de apenas cinco anos (que mais tarde viria a merecer o cognome de Bem-Amado), quem herda a coroa francesa.

Sinopse: CineCartaz Público