O destaque da semana vai para “Treblinka”, um filme-ensaio escrito e realizado por Sérgio Tréfaut, que se debruça sobre o judeu Chil Meyer Rajchman e muitos outros sobreviventes ao Holocausto. Neste “universo dos sobreviventes”, em que a acção decorre durante uma viagem de comboio transiberiana, são os actores Isabel Ruth e Kiril Kashlikov a dar voz aos testemunhos. “Treblinka” estreia hoje nas salas de cinema nacionais.

Nascido na Polónia, o judeu Chil Meyer Rajchman (1914-2004) foi um dos sobreviventes ao Holocausto. Prisioneiro do campo de extermínio nazi de Treblinka (Polónia), onde mais de 800 mil pessoas perderam a vida, pertenceu a um grupo muito restrito de pessoas que conseguiram escapar após uma revolta, a 2 de Agosto de 1943. Fugiu para Varsóvia, onde viveu sob anonimato até ao fim da guerra e onde escreveu “Sou o Último Judeu”, um livro de memórias sobre os dez meses no campo. Essa obra foi publicada em 2009, já depois da sua morte, em 2004, na cidade de Montevideu (Uruguai), país para onde emigrou e onde passou o resto da vida. “Os vagões tristes transportaram-me para este lugar. Vêm de toda a parte: de leste e de oeste, do norte e do sul. De dia como de noite, em todas as estações: Primavera, Verão, Outono, Inverno. Os comboios chegam sem percalços, incessantemente, e Treblinka prospera a cada dia que passa. Quantos mais chegam, mais Treblinka consegue absorver.” Assim começa o seu relato.

Sinopse: Cinecartaz Público