Tar cate blanchett todd field

Divulgado teaser para “Tár”, de Todd Field

A Focus Features divulgou o primeiro teaser para “Tár”, o próximo filme de Todd Field que conta com Cate Blanchett no principal papel. Estas são as primeiras imagens do retrato pintado por Field sobre a compositora e maestrina Lydia Tár.

O drama biográfico está previsto chegar aos cinemas norte-americanos no início de Outubro de 2022, mas datas para a estreia nos cinemas nacionais ainda não foram avançadas – estima-se que venha a ter estreia mundial na próxima edição do Festival de Cinema de Veneza.

“Tár” tem como pano de fundo o mundo da música clássica internacional e Cate Blanchett será a protagonista, interpretando papel de Lydia Tár, uma maestrina amplamente considerada como uma das maiores da área e a primeira mulher a orientar uma grande orquestra alemã.

No elenco, juntam-se a Blanchett Mark Strong (“O Jogo da Imitação”), Noémie Merlant (“Retrato de Uma Rapariga em Chamas”), Nina Hoss (“Segurança Nacional”), Julian Glover (“A Guerra dos Tronos”), Allan Corduner (“Yentl”), Sophie Kauer e Sylvia Flote.

O guião é escrito por Todd Field, que também é realizador, e regressa após um hiato de 15 anos depois do seu aclamado “Pecados Íntimos”. A produção está a cargo de Field, Alexandra Milchan e Scott Lambert e decorre actualmente em Berlim.

Nos Estados Unidos, o filme será distribuído pela Focus Features, mas a nível internacional esse papel será entregue à Universal Pictures.

A compositora islandesa Hildur Guðnadóttir é a autora da banda-sonora, nome mais conhecido por ter garantido um Óscar e um Globo de Ouro em 2019 pelo filme “Joker”, de Todd Phillips.

Hildur Gudnadottir na cerimónia dos Óscares (2020)
Hildur Gudnadottir na cerimónia dos Óscares (2020)

Os detalhes acerca do argumento não são abundantes, sabe-se apenas, em linhas gerais, que “Tár” seguirá os passos Lydia Tár durante o tempo que viveu em Berlim e até ao momento em que gravou a sua última sinfonia.

“Tár” marca o regresso de Todd Field à realização, depois da sua estreia em 2001 com “Vidas Privadas”, que lhe angariou cinco nomeações aos Óscares, incluindo Melhor Filme, e ampla unanimidade junto da crítica especializada.

O sucessor de “Vidas Privadas”, “Pecados Íntimos”, granjeou-lhe semelhante sucesso, tendo estado nomeado para três Óscares e recebido igualmente boas críticas. Apesar de ter estado associado a vários projectos desde então, nenhum deles se havia materializado até ao momento.

Skip to content