Filmes do Homem 2014: Melgaço realiza primeira edição deste festival de documentário

Filmes do Homem 2014_1

Chama-se “Filmes do Homem” o Festival de Documentário de Melgaço que tem como tema central a emigração portuguesa para França“Organizado pela Câmara Municipal de Melgaço e pela Associação AO NORTE, pretende promover e divulgar o cinema etnográfico e social, reflectir com os filmes sobre identidade, memória e fronteira e contribuir para um arquivo audiovisual sobre a região. A autarquia pretende assim dinamizar o Museu do Cinema de Melgaço, inaugurado em 2005, onde se encontra o espólio de Jean Loup Passek, cinéfilo e crítico de cinema.“. Filmes do Homem será marcado por três eixos principais: uma programação a partir de uma mostra competitiva de documentários candidatos ao prémio Jean Loup Passek, selecionados em função de um tema anual, e com filmes convidados; realização de um seminário, Fora de Campo, organizado a partir do tema escolhido para o Festival; Produção, em cada edição do Festival, de documentários sobre a região.

A primeira edição deste festival, que se realiza de 2 a 7 de agosto, reúne realizadores de diferentes gerações, alguns dos quais viveram de perto os tempos mais difíceis da emigração, como Manuel Madeira ou José Vieira, e autores também emigrantes que interrogam o passado através da experiência vivida pelos pais, como Maria Pinto, Noémie Mendelle e Nuno Pires. A programação conta também com filmes dos cineastas franceses Patrick Séraudie, Robert Bozzi e Dominique Dante, que filmaram a vida e a luta dos emigrantes portugueses, e realizadores nacionais que reflectem sobre a emigração, como Catarina Alves Costa e João Pedro Rodrigues.

“Em Foco estará a obra de José Vieira, um realizador que vive e trabalha em Paris e é autor de uma extensa filmografia sobre a emigração”. O realizador estará presente durante o festival para apresentar os seus documentários.

Haverá duas exposições a decorrer: a primeira é a exposição de fotografia “Por uma vida melhor” que reúne 106 imagens do fotógrafo, jornalista e pintor Gérald Bloncourt, que fotografa os emigrantes portugueses em França desde os anos 50. O autor estará presente no Festival e fará uma visita guiada à exposição no dia 2 de agosto; a segunda é uma exposição de cartazes de filmes “25 de Abril – O Cinema Português nas Décadas de 60 e 70”. Os cartazes de cinema são à imagem dos filmes, a preto e branco ou em tecnicolor , de pequeno formato ou em cinemascópio, efémeros e ao mesmo tempo eternos. Contam-nos uma história mas também a história de uma época. Para esta primeira edição do FILMES DO HOMEM – Festival de Documentário de Melgaço, O Museu de Cinema Jean-Loup Passek propõe uma viagem à volta dos anos 70 e do cinema português a caminho da liberdade, das utopias e da sua abertura ao mundo”. A exposição é inaugurada no dia 3 de agosto, pelas 21h30, com uma visita guiada por Bernard Despomadères e Angelina Esteves.

Haverá workshops, debates e o Fora de Campo, um seminário de Verão que vai ocorrer, a partir de 2015, no âmbito de Filmes do Homem – Festival de Documentário de Melgaço. “Será um encontro de reflexão e debate multidisciplinar em torno do cinema – identidade, memória e fronteira, e resulta da cooperação da Câmara Municipal de Melgaço com a AO NORTE em colaboração com Universidades e Grupos de Investigação/Pesquisa de Portugal, Galiza e Brasil. São objetivos do encontro a aproximação das abordagens artísticas, tecnológicas e das ciências sociais e humanas do cinema; a colaboração das Redes e Grupos de Investigação/Pesquisa participantes no Festival; o envolvimento da população e comunidade local nas atividades culturais e artísticas realizadas no Seminário e no Festival; contribuir para a afirmação da cultura e desenvolvimento local. Dos encontros constam atividades organizadas em Grupos de Trabalho, Mesas Redondas e Workshops. Cada ano terá uma temática específica”. A temática para 2015 é As Migrações no Cinema / Migrações e Cinema / Cinema e Migrações.

A organização prepara ainda uma residência cinematográfica que vai ocorrer em Melgaço, de 29 de julho a 5 de agosto de 2014, no âmbito deste festival de documentário. Chama-se Plano Frontal“O objetivo do projeto Plano Frontal é contribuir para um arquivo audiovisual sobre o património imaterial de Melgaço, dotar o Espaço Memória e Fronteira de obras audiovisuais que abordem a história da região, promover o filme documentário e o aparecimento de novas equipas técnicas e artísticas. Quatro equipas formadas por quatro jovens realizadores, quatro operadores de som e quatro operadores de câmara, realizarão, durante uma semana, quatro documentários sobre temas locais que lhes serão propostos. Plano Frontal tem como destinatários os alunos em final de curso que frequentem Escolas do Ensino Superior de Cinema e de Audiovisuais, ou que tenham concluído recentemente a sua formação. Os participantes serão selecionados através da análise de candidaturas, e serão orientados por Pedro Sena Nunes, realizador/tutor com larga experiência profissional e pedagógica. Todo o trabalho será enquadrado e apoiado por uma equipa de produção e uma equipa técnica formada por Carlos Eduardo Viana, Rui Ramos, Joana Bravo e Nuno Ribeiro.”

Segundo a organização do festival, é intenção da mesma que “os filmes possam ser vistos e debatidos por um número alargado de pessoas, pelo que serão projetados documentários nas freguesias de Paderne, Lamas de Mouro, Cristóval e Castro Laboreiro”. Filmes do Homem 2014 decorre assim de 2 a 7 de agosto, em Melgaço, na Casa da Cultura, Museu de Cinema de Melgaço, Auditório Lamas de Mouro, Torre do Castelo (Cinema ao Ar Livre), Freguesia de Paderne (Cinema ao Ar Livre), Freg. de Castro Laboreiro (Cinema ao Ar Livre), Freguesia Cristóval (Cinema ao Ar Livre), Arbo (Galiza) Praça central, Museu de Cinema de Melgaço – Jean Loup Passek e Espaço Memória e Fronteira.

Filmes do Homem 2014_2

Fonte: Filmes do Homem – Festival de Documentário de Melgaço