De acordo com uma reportagem do Wall Street Journal, os custos elevados do novo filme de Martin Scorsese, “Killers of the Flower Moon”, forçaram o realizador a procurar novos parceiros para além da Paramount.

Baseado no romance de sucesso “Killers of The Flower Moon: The Osage Murders and the Birth of the FBI”, de David Grann, o filme conta a história de uma série de assassinatos investigados pelo FBI em Oklahoma, nos Estados Unidos, que tiveram como alvo famílias indígenas que ficaram ricas com petróleo, conhecidos como os Osage, e terá como protagonistas Leonardo DiCaprio e Robert De Niro.

Já não é a primeira vez que o estúdio Paramount tem de recusar um filme deste realizador devido a orçamentos muito elevados (mais de 200 milhões de dólares), sendo que o famoso “The Irishman” seguiu o mesmo caminho e acabou por ser adquirido pela Netflix.

Scorsese também ponderou a hipótese de falar com a MGM ou a Universal, mas a Paramount preferiu um negócio em que o estúdio pudesse na mesma ser aceite como financiadora ou distribuidora. Assim, estão a ser feitas negociações entre o realizador e a Apple (para a Apple TV+) e a Netflix para produzir e/ou distribuir o seu novo filme, que deverá estrear em 2021.