Terminou ontem a 13.ª edição do MOTELx – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, com atribuição do Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa/Méliès d’Argent 2019 ao filme “Erva Daninha”, de Guilherme Daniel.

O júri composto por Samuel Úria, Howard David Ingham e Raquel Freire justificou assim esta escolha: “Erva Daninha foi o filme que mais nos surpreendeu; ficámos fascinados e perturbados desde o início. Numa competição muito forte, soube comunicar verdadeiramente uma estranheza sobrenatural, e é um filme que nos dá a sensação de ser única e autenticamente Português”. O júri destacou ainda as interpretações “tremendas e sensíveis” dos atores Daniel Viana e Isabel Costa.

“Erva Daninha” retrata a história de um casal que cultiva um terreno aparentemente infértil e que um dia encontra na terra uma semente negra que virá a crescer e influenciar os seus comportamentos. Esta é a segunda vez que o realizador Guilherme Daniel ganha este prémio, depois de em 2018 ter vencido com “A Estranha Casa na Bruma”. O júri decidiu ainda atribuir uma Menção Especial a “Häuschen – A Herança”, de Paulo A. M. Oliveira e Pedro Martins, “uma versão moderna do clássico conto de fadas negro” que considerou “muito forte em todos os sentidos”, mas em particular pelo seu “final bem conseguido, construído de maneira a ser simultaneamente perturbador e satisfatório para o público”.

“Midsommar”, de Ari Aster, um dos filmes de terror mais aguardados do ano, foi o grande vencedor do Prémio do Público, sendo o escolhido entre os 26 filmes da secção Serviço de Quarto.

Prémio MOTELx – Longa-Metragem Europeia de Terror
Papa, Sdokhni, de Kirill Sokolev
Menção Especial
The Hole in the Ground, de Lee Cronin
Prémio do Público
Midsommar, de Ari Aster
Prémio MOTELx – Curta-Metragem Portuguesa de Terror
Erva Daninha, de Guilherme Daniel
Menção Honrosa
Häuschen – A Herança, de Paulo A. M. Oliveira e Pedro Martins

Fonte: MOTELx