18 anos de Prisioneiro de Azkaban – o filme que mudou a franquia Harry Potter

Last updated:

Hoje (4), Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, o filme que mudou o jogo para os fãs de Harry Potter, faz 18 anos de lançamento. Não apenas foi o primeiro filme não dirigido por Chris Columbus, mas a história – tanto em livro quanto em filme – introduziu personagens e mitologia que impactariam a batalha de Harry com Voldemort (Ralph Fiennes) até o final. Também é muito complicado, com Time-Turners, cenas de múltiplas perspectivas e grandes revelações que fazem com que os fãs frequentemente mudem suas lealdades.

Prisioneiro de Azkaban parece seguir algumas tramas diferentes: Sirius Black (Gary Oldman) escapou da prisão dos bruxos de Azkaban, e todos assumem que ele quer matar Harry. Hogwarts também tem um novo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, o Professor Lupin (David Thewlis), e ele é super estranho com a lua. O hipogrifo de Hagrid (Robbie Coltrane), Bicuço, está prestes a ser executado por arranhar Malfoy (Tom Felton). Perebas, o rato de estimação de Ron (Rupert Grint), está desaparecido, presumivelmente comido pelo gato de Hermione (Emma Watson), Bichento. E há um cachorro grande por aí que pode pressagiar a morte.

Todos esses tópicos parecem independentes, mas convergem na Casa dos Gritos, entregando um final para Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban que fornece comentários profundos sobre os temas da série.

 

O Reencontro dos Marotos

À medida que a ação se aproxima do final de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, Perebas reaparece bem a tempo para o Trio Dourado aparentemente testemunhar a execução de Bicuço. Mas então Perebas escapa de Ron e corre atrás do Salgueiro Lutador. Perseguindo Perebas, os três descobrem que a árvore contém uma passagem secreta para a Casa dos Gritos e, uma vez lá, eles são confrontados por Sirius Black.

Ele acaba sendo o cachorro que está anunciando a desgraça o tempo todo. Sirius é um Animago sem licença, e aparentemente também é melhor amigo de Lupin. O professor de Defesa Contra as Artes das Trevas encontra a gangue na Cabana e abraça Sirius como um amigo há muito perdido. Depois de uns 30 segundos confusos para as três crianças, os adultos explicam que Sirius foi incriminado pelos crimes contra a família de Harry. A pessoa que realmente delatou Voldermort foi Peter Pettigrew (Timothy Spall), também conhecido como Animagus Wormtail sem licença, também conhecido como Perebas, o rato.

As crianças descobrem que Lupin, Sirius, Peter e o pai (Adrian Rawlins) de Harry, James, eram melhores amigos na escola. Quando Lupin foi atacado e transformado em lobisomem quando adolescente, os outros três se tornaram Animagos para que pudessem fazer companhia a ele durante sua época do mês. A gangue se apelidou com base no que eles se transformaram em: Moony (Lupin, lobisomem) Wormtail (Peter, rato), Padfoot (Sirius, cachorro) e Prongs (James, veado).

 

 

O Lupin de David Thewlis era gay?

Há algumas coisas subtextuais acontecendo sob a superfície da cena da Casa dos Gritos no final de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. O diretor Alfonso Cuarón disse a David Thewlis, que interpretou Lupin, que seu personagem era gay.

“Alfonso Cuarón, nos ensaios, sem o conhecimento de JK Rowling, me disse que [Lupin] era, de fato, gay”, disse Thewlis, pela Entertainment Weekly. “Então, eu estava interpretando um papel como um homem gay por um bom tempo. Até descobrir que eu realmente me casei com Tonks. Mudei toda a minha performance depois disso. Apenas vi isso como uma fase pela qual ele passou.” Muitos fãs perceberam as vibrações, notando que a cena de reencontro de Lupin e Sirius no filme parecia mais como namorados se reunindo, não como melhores amigos.

A comovente reunião dos talvez namorados dura pouco, no entanto, quando Snape chega à Cabana com a intenção de prender Sirius. Depois de nocautear Snape, Harry convence Sirius e Lupin a entregar Peter aos dementadores ao invés de matá-lo imediatamente. Infelizmente para eles, é uma lua cheia. Lupin muda, Peter atordoa Ron e escapa, e Sirius se transforma em Padfoot para defender as crianças de Moony. Harry e Sirius são cercados por dementadores, mas são salvos por um veado espectral. Harry está convencido de que o cervo é seu pai.

 

Prisioneiro de Azkaban estabeleceu as regras de viagem no tempo no Mundo Mágico

Depois de desmaiar, Harry acorda na Ala Hospitalar com a notícia de que Sirius está prestes a receber o Beijo do Dementador – ou seja, ter sua alma sugada. Desagradável. Felizmente, os espectadores descobrem que Hermione tem dobrado as regras de espaço e tempo durante todo o ano para participar de aulas extras.

Hermione tem um Vira-Tempo, que ela pode usar para voltar antes de Bicuço ser executado, antes de Lupin se transformar e antes de os Dementadores atacarem Harry. Para esta última parte do filme, vemos os acontecimentos do dia de uma nova perspectiva. Escondendo-se do passado, Harry e Hermione libertam Bicuço e resgatam Sirius. É tudo muito “De Volta para o Futuro – Parte 2”.

Esta parte de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban enquadra as regras de viagem no tempo dentro do universo de Harry Potter. Parece que a viagem no tempo de Harry Potter é um circuito fechado, de acordo com o Abutre. Você não pode mudar o que aconteceu no passado porque já viu o efeito do que fez no passado.

No primeiro encontro da gangue com a execução de Bicuço, só ouvimos o machado fazer contato com alguma coisa. Na segunda rodada, descobrimos que era o carrasco que enfiava seu machado em um toco de árvore, frustrado por não conseguir matar alguma coisa. E o veado que salvou Harry e Sirius dos Dementadores? Era o Patrono de Harry.

 

Harry descobre mais sobre sua conexão com o pai

Harry está animado para ver seu pai em sua segunda virada no tempo, convencido de que foi James quem salvou Harry e Sirius dos Dementadores. Eventualmente, ele percebe que foi ele quem lançou o feitiço Patronus: ele se salvou.

A princípio, Harry fica desapontado por não conhecer seu pai. Mas há algo doce na conexão que Harry nem sabia que ele compartilhava com seu pai, Pontas. Ambos têm um veado como seu Patrono, com James sendo capaz de se transformar em um como Animago.

A mãe (Geraldine Somerville) de Harry, Lily, tem o Patrono de uma corça. Isso simboliza como os dois pertencem um ao outro. Também é simbólico que toda a família Potter tenha presas como seus Patroni. Eles não são pessoas violentas, mas são empurrados para circunstâncias violentas pelo mundo. Muitos dos temas de Harry Potter dizem respeito à verdadeira natureza de Harry e se, entre outras qualidades, a cicatriz de Harry o aproxima de Voldemort de maneiras que significam semelhanças profundas e possivelmente perigosas, o Patrono de Harry ressalta sua natureza gentil.

 

A escuridão de Prisioneiro de Azkaban é uma metáfora para o estado mental de Harry

Por fim, bora esclarecer o porquê o terceiro filme da série é tão sombrio. Bom, quando Prisioneiro de Azkaban começa, Harry recebe uma notícia bastante perturbadora: Sirius Black (Gary Oldman), um assassino condenado, escapou da prisão bruxa, e parece estar caçando o próprio Harry. Este já é um enredo bastante sombrio – e a história de Sirius acaba sendo algo completamente diferente – mas de acordo com Cuarón, a escuridão também representa o crescimento mental de Harry quando ele completa treze anos.

“‘Azkaban’ é um amadurecimento”, explica Cuarón no especial Harry Potter – 20 Anos de Magia: De Volta a Hogwarts. “No entanto, quando ele treze anos, há uma grande nuvem que ofusca tudo em volta de Harry. E precisávamos transmitir isso estilisticamente.” Isso explica por que parte do filme é filmado em paisagens cinzentas – um cenário perfeito para as nuvens com eles representa a depressão e a sua grande aparência na série em “Azkaban”.

Os filmes de Potter e o especial de reuniões estão disponíveis para transmissão no HBO Max agora.

 

* Texto elaborado exclusivamente para o Cinema Sétima Arte. 

© 2022 Vanderlei Tenório Pereira

Skip to content