2.ª edição do Moinho Cine Fest: Vencedores

Terminou no passado domingo (4 de abril) a 2.ª edição do Moinho Cine Fest, em formato online, um festival internacional de cinema para nano e micro-metragens em Custóias, Leça do Balio e Guifões, organizado pela ANARTEM – Associação Cultural.

O filme queniano “Sonhos do Congo” (“Dreams from Congo”), realizado por Victor Ajwang, venceu o prémio de Melhor Filme e o de Melhor Filme Mobile da 2.ª edição do Moinho Cine Fest.

“É a reconstituição de um documentário realizado por Salomon Bondeko, um adolescente de Katanga, na República Democrática do Congo, que, em 2018, decidiu fazer o documentário “Sonhos do Congo” (“Dreams from Congo”) sobre a guerra que destruiu o seu país. Mas, ele é atingido mortalmente por uma bala perdida. Um filme que demonstra que o smartphone pode ser usado como uma arma de propaganda contra a proliferação das armas em África e para denunciar que já faleceram mais de 5 milhões de pessoas na República Democrática do Congo desde 1998.”

Foram ainda premiados o filme espanhol “Horrorscope”, de Pol Diggler, como Melhor Micro-metragem, o filme brasileiro “Culpado”, de Alexia Malter, como Melhor Nano-metragem, “Invasões Francesas”, de César Santos, como Melhor Filme Português, e “Memórias Esquecidas”, do Rancho Regional de Guifões, como Melhor Filme Mobile Português e Melhor Filme Local.

Vídeo Arte_DISTORTED TREE I_1
“Árvore Distorcida I” de Luís Miranda

O filme vídeo-arte realizado por Luís Miranda, “Árvore Distorcida I” venceu o prémio de Melhor Nano-metragem Portuguesa. Segundo o realizador, o filme, coproduzida pela Miranda Filmes e a Hiperfocal Filmes, é sobre “a distorção do elemento imagético único e sua duplicação, colorização e recomposição num díptico de oposições espelhadas.”

A 3.ª edição do festival decorrerá também online, entre 9 e 11 de abril de 2021, na União das Freguesias de Custóias, Leça do Balio e Guifões, em Matosinhos, Portugal.

Fonte: Moinho Cine Fest

Skip to content