“Alma Viva”, candidato português aos Óscares, estreia nos cinemas em novembro

Alma-Viva-2022-2
Last updated:

O filme “Alma Viva”, da realizadora luso-francesa Cristèle Alves Meira, candidato português aos Óscares 2023, tem a sua estreia comercial no próximo dia 3 de novembro, em mais de vinte salas de todo o país.

Antes de chegar às salas de cinema terá uma antestreia em Lisboa, no próximo sábado, pelas 21h30, na Cinemateca Portuguesa. A sessão especial de antestreia contará com a presença da realizadora e da equipa do filme, interpretado por Lua Michel, Ana Padrão, Jacqueline Corado, Ester Catalão e Duarte Pina.

A anteceder essa sessão, haverá uma outra, pelas 19 horas, em que Cristèle Alves Meira apresentará as suas quatro curtas-metragens, a mais recente das quais em estreia absoluta em Portugal: “Tchau-Tchau”, filmada durante a pandemia, junta-se assim a “Sol Branco”, “Campo de Víboras” (tal como “Alma Viva” ambas filmadas em Trás-os-Montes) e “Invisível Herói”.

Para além desta antestreia em Lisboa, a realizadora acompanhará sessões de antestreia em Vimioso, Casa da Cultura, no dia 30 de outubro, 20h30 (concelho em que se situa Junqueira, aldeia onde o filme foi rodado e de onde a família materna da realizadora é originária); em Mirandela, Auditório Municipal, no dia 31 de outubro, 21h30; em Viana do Castelo, Cineplace Estação Viana Shopping, no dia 1 de novembro, 21h40; e no Porto, Cinema Trindade, no dia 2 de novembro, 21h30.

Apresentado pela primeira vez na Competição da Semana da Crítica do Festival de Cannes 2022, “Alma Viva” tem circulado e sido premiado em inúmeros festivais um pouco por todo o mundo.

Cristèle Alves Meira filmou no norte de Portugal, na região de Vimioso, de onde a sua família é originária, a história de Salomé, uma menina filha de emigrantes portugueses em França que vem todos os anos passar as férias de verão com a sua avó, com quem tem uma forte ligação afetiva e espiritual. O filme retrata a emigração portuguesa, as famílias que se separam e as complexas diferenças económicas e sociais que daí advêm.

A direção de fotografia é de Rui Poças e conta com a participação de Lua Michel, Jacqueline Corado, Ana Padrão, Ester Catalão, Duarte Pina e Nuno Gil, tendo sido integralmente filmado em Portugal com uma equipa de produção maioritariamente portuguesa.

O filme de Cristèle Alves Meira, a sua primeira longa-metragem, é produzido pela portuguesa Midas Filmes em co-produção com a francesa Fluxus Films e a belga Entre Chien et Loup, e com o apoio do Fundo Eurimages, e em Portugal com apoio do ICA, da RTP e do Fundo do Turismo.

Escolhido pela Academia Portuguesa de Cinema, “Alma Viva” é o candidato de Portugal ao Óscar de Melhor Filme Internacional, para a 95.ª edição dos Óscares da Academia Americana de Cinema. 95.ª edição dos Óscares realiza-se no dia 12 de março de 2023 em Los Angeles, nos EUA.

Alma-Viva-2022-cartaz1

Skip to content