A 66ª edição do Festival de Berlim é inédita pelo número de filmes portugueses em competição. Depois do anúncio da longa “Cartas da Guerra” de Ivo Ferreira e das curtas-metragens “Balada de um Batráquio” de Leonor Teles, “Freud und Friends” de Gabriel Abrantes e “L’Oiseau de la nuit” de Marie Losier, a organização do certame anunciou a programação da secção paralela Forum (secção não competitiva), que irá incluir mais três longas-metragens, “Eldorado XXI” de Salomé Lamas, “Posto Avançado do Progresso” de Hugo Vieira da Silva“Rio Corgo” de Maya Kosa e Sérgio da Costa.

Os filmes de Ivo Ferreira, Salomé Lamas e de Maya Kosa e Sérgio da Costa são produzidos pela produtora O Som e a Fúria.

“Eldorado XXI” é o segundo documentário de Salomé Lamas (“Terra de Ninguém”) que tem estreia mundial no Festival de Berlim, na secção Forum. “Rio Corgo” de Maya Kosa e Sérgio da Costa, que teve estreia mundial no Doclisboa 2015, onde venceu o Prémio de Melhor Filme da Competição Portuguesa, terá agora a sua estreia internacional, na mesma secção.

“Posto Avançado do Progresso” é a terceira longa–metragem de Hugo Vieira da Silva, produzida por Paulo Branco (Alfama Films), que regressa ao festival de Berlim onde em 2011 tinha apresentado nesta mesma secção o filme “Swans”. Após a estreia em Berlim, “Posto Avançado do Progresso” chegará às salas de cinema nacionais a 17 de março.

O programa da secção Forum é composto por um total de 44 filmes, dos quais 34 são estreias mundiais e nove estreias internacionais. No programa constam filmes de realizadores como Wang Bing (“Ta’ang”), Eugène Green (“Le fils de Joseph”) ou Guillaume Nicloux (“Dans les bois”).

Ao todo são seis obras do cinema português a integrarem o Berlinale 2016, que terá lugar de 11 a 21 de fevereiro.