O filme escolhido para abrir a 61ª edição do Festival de Cinema de Berlim, foi o mais recente filme dos irmãosCoen, “True Grit” (Indomável), um western. Conta a história de Mattie Ross (Hailee Steinfeld), uma jovem de 14 anos, cujo pai foi morto a sangue frio pelo cobarde Tom Chaney (Josh Brolin) e que está determinada a levá-lo à justiça. Com a ajuda de um conflituoso e alcoólico U.S. Marshal, Rooster Cogburn (Jeff Bridges), ela prepara-se, ignorando as reservas do próprio Rooster, para caçar Chaney. O sangue do seu pai exige que persiga o criminoso até território Índio e o encontre antes que um Texas Ranger, chamado LaBoeuf (Matt Damon), o apanhe e leve de volta para o Texas, para ser julgado pela morte de outro homem. Tem data de estreia marcada em Portugal para o dia 17 de Fevereiro de 2011, sendo um dos filmes mais aguardados do ano.

 

Em 2007, “Tropa de Elite”, de Jose Padilha, recebeu o Urso de Ouro no Festival de Berlim. Três anos depois, regressa ao certame, com “Tropa de Elite 2”, inserida desta vez na secção Panorama do Festival. “Tropa de Elite 2” ainda não tem estreia marcada em Portugal. A organização do festival já divulgou os nomes dos filmes que vão fazer parte do Panorama da Berlinale:

 

Panorama Principal

“Bu-dang-geo-era” (The Unjust), de Ryoo Seung-wan (Coreia do Sul)

“Chang-Pi-Hae” (Ashamed), de Kim Soo-hyun (Coreia do Sul)

“Dance Town”, de Jeon Kyu-hwan (Coreia do Sul)

“The Devil’s Double”, de Lee Tamahori (Bélgica)

“Dirty Girl”, de Abe Sylvia (EUA)

“Fjellet” (The Mountain), de Ole Giaever (Noruega)

“The Guard”, de John Michael McDonagh (Irlanda/Reino Unido/Argentina)

“Majki” (Mothers), de Milcho Manchevski (Macedónia/França)

“Mishen” (Target), de Alexander Zeldovich (Rússia)

“Rundskop” (Bullhead), de Michaël R. Roskam (Bélgica)

“Tropa de Elite 2”, de José Padilha (Brasil)

“Über uns das All”, de Jan Schomburg (Alemanha)

“Die Vaterlosen” (The Fatherless), de Marie Kreutzer (Áustria)

 

Panorama Documental

“The Advocate For Fagdom”, de Angélique Bosio (França)

“The Black Power Mixtape 1967-1975”, de Göran Hugo Olsson (Suécia/EUA)

“BRASCH – Die Widersprüche sind die Hoffnung”, de Christoph Rüter (Alemanha)

“Coming Home”, de Tomer Heymann (Israel)

“Homo@lv”, de Kaspars Goba (Letónia)

“House Of Shame / Chantal All Night Long”, de Johanna Jackie Baier (Alemanha)

“Die Jungs vom Bahnhof Zoo” (Rent Boys), de Rosa von Praunheim (Alemanha)

“Khodorkovsky”, de Cyril Tuschi (Alemanha)

“Mondo Lux”, de Elfi Mikesch (Alemanha)

“Women Art Revolution – A Secret History”, de Lynn Hershman Leeson (EUA)

“We Were Here”, de David Weissman (EUA)

 

Já foram divulgados, também, sete filmes que se inserem na competição oficial:

 

“Bizim Büyük Çaresizliğimiz” (Our Grand Despair), de Seyfi Teoman (Turquia/Alemanha/Holanda)

“Coriolanu”, de Ralph Fiennes  (Reino Unido)

“Lipstikka”, de Jonathan Sagall (Israel/Reino Unido)

“Pina”, de Wim Wenders (Alemanha/França)

“Wer wenn nicht wir” (If not us, who?), de Andres Veie (Alemanha)

“Yelling To The Sky”, de Victoria Mahoney  (EUA)

“The Future “, de Miranda July (Alemanha/EUA)

 

O filme que se destaca mais desta lista é o mais recente filme de Wim Wenders, “Pina”, baseado na dançarina contemporânea Pina Bausch, que faleceu em 2009. Surpreendentemente, este filme será lançado em 3D. A 61ª edição do Festival de Cinema de Berlim, decorre de 10 a 20 de Fevereiro de 2011.