Captura de ecrã 2015-04-3, às 22.51.07

O mais antigo cineclube do país celebra em abril 70 anos de existência. O Cineclube do Porto (CCP) comemora o seu 70º aniversário, “uma data muito importante porque revela a capacidade de persistência, adaptação e renovação de uma associação que tem tido um papel importante no Cinema Português e no Cinema na cidade do Porto. Por ser uma data tão importante a programação será marcada por filmes e realizadores fundamentais que se organizam em torno do tema O Cinema sobre o Cinema.”.

O CCP apresenta um programa notável, dedicado ao cinema, onde constam obras como, “Fausto” (1926) de F.W. Murnau, “Viagem a Lisboa” (1994) de Wim Wenders, “Onde Jaz o Teu Sorriso” (2011) de Pedro Costa, “João Bénard da Costa – Outros amarão as coisas que eu amei” (2014) de Manuel Mozos, “F for Fake” (1973) de Orson Welles e “O Desprezo” (1963) de Jean-Luc Godard.

Cineclube do Porto (o primeiro em Portugal) nasceu a 13 de abril de 1945 e em pouco tempo se tornou num dos maiores da Europa e “a ter mais sócios do que o FC Porto” . Foi fundado por um grupo de jovens, em casa de Hipólito Duarte, o primeiro cineclube de Portugal, o CPC (Clube Português de Cinematografia). Nos anos 50, já dirigido por Henrique Alves Costa, o número de associados chegou aos 2500 sócios e apostou numa constante atividade e formação exemplar, de modo a “defender e dignificar o cinema e desenvolver no público gosto e o interesse pelos aspetos técnicos e estéticos da arte cinematográfica”. Foi o Cineclube do Porto que formou e incentivou de certa forma a criação de outros cineclubes no país. Muitos desses são hoje cineclubes ativos em Portugal, como por exemplo o de Lisboa (1950), Viseu (1955), Santarém (1955), Faro (1956), Guimarães (1958) e Coimbra (1958). O CCP já passou por várias salas de cinema marcantes da cidade do Porto, como o Águia d’Ouro e o Cinema Batalha. Atualmente ocupa a Casa das Artes para as suas sessões cinematográficas.

Saber mais sobre o cineclube do Porto aqui.

Ciclo de abril:

2 de abril (21h30) – Fausto (1926) de F.W. Murnau

4 de abril (18h00) – Viagem a Lisboa (1994) de Wim Wenders

9 de abril (21h30) – Il Giovane Favoloso (2014) de Mario Martone

11 de abril (18h00) – Incompresa (2014) de Asia Argento

17 de abril (21h30) – Onde Jaz o Teu Sorriso (2011) de Pedro Costa

18 de abril (18h00) – João Bénard da Costa – Outros amarão as coisas que eu amei (2014) de Manuel Mozos

23 de abril (21h30) – F for Fake (1973) de Orson Welles

25 de abril (18h00) – Que Farei eu Com Esta Espada? (1975) de João César Monteiro

30 de abril (21h30) – O Desprezo (1963) de Jean-Luc Godard