Curtas Vila do Conde 2024: Bertrand Mandico e Elina Löwensohn em diálogo na 32.ª edição do Festival

O realizador francês e a atriz romena estarão presentes em julho em Vila do Conde, onde está previsto um encontro entre ambos sob a forma de uma entrevista
827727 1 827727 2
Via: Festival du nouveau cinéma - FNC

A divulgação da programação da 32.ª edição do Curtas Vila do Conde está a decorrer animadamente.

O festival, que terá lugar de 12 a 21 de julho, anunciou mais um destaque especial: um diálogo entre o realizador francês Bertrand Mandico e a atriz romena Elina Löwensohn, que frequentemente protagoniza os seus filmes.

Bertrand Mandico

Presença assídua nas seleções oficiais dos principais festivais de cinema mundiais, a obra de Bertrand Mandico transcende convenções e categorizações de género, alargando a forma como olhamos e percebemos as fronteiras do cinema contemporâneo.

Engenhoso, livre, inconvencional, controverso são alguns dos adjetivos que poderiam classificar a abordagem surrealista e visualmente desafiante com que aborda o cinema, e que desemboca num corpo de trabalho que explora os limites da imaginação e da expressão artística, combinando elementos do cinema experimental com referências ao cinema clássico.

Os seus filmes mergulham, frequentemente, em temas de identidade, sexualidade e metamorfose, num quadro cénico e imagético visualmente rico e provocativo, onde se reconfiguram as noções e representações do corpo humano e – consequentemente – das convenções a ele associadas.

No âmbito do In Focus que o Curtas Vila do Conde lhe dedica será exibida grande parte da sua obra na curta-metragem, assim como uma Carta Branca com escolhas de alguns dos filmes que influenciaram a forma como pensa o seu cinema. Este último integrará filmes de Federico Fellini, Walerian Borowczyk, Tony Hill ou Bogdan Dziworski.

Elina Löwensohn

Em diálogo com os filmes do autor, o festival exibirá ainda uma seleção de três longas metragens com participação de Elina Löwensohn, contextualizando de forma mais abrangente o trabalho da atriz protagonista de grande parte dos filmes de Mandico.

Nascida na Romênia e radicada nos Estados Unidos, Löwensohn tem colaborado, ao longo da sua carreira, com vários realizadores de vanguarda, demonstrando um talento inquestionável e uma invulgar capacidade de se adaptar a diferentes estilos cinematográficos, do indie americano ao cinema europeu.

Pelo festival de Vila do Conde vão passar três das suas mais elogiadas performances, filmes de culto sobretudo para uma geração de cinéfilos dos tempos da fundação do festival: “Nadja” (1994), de Michael Almereyda, “Simple Man” (1992), de Hal Hartley e “Sombre” (1999), de Philippe Grandrieux.

O realizador e a atriz marcarão presença em julho em Vila do Conde, estando prevista um encontro entre ambos, que terá a forma de uma entrevista onde Mandico assume o lugar de entrevistador e Löwensohn o de entrevistada.

Skip to content