Desobedoc 2020: cinema insubmisso em casa

“Em 2020, o Desobedoc vai a casa” nos dias 25 e 30 de abril e 1 de maio. A edição deste ano, que decorreria este fim de semana não fosse a atual pandemia do novo coronavírus (Covid-19), teve de se adaptar e deixar, por enquanto, as salas de cinema.

O Desobedoc vai deambular à noite pelas ruas do Porto, entre 25 de abril e 1 de maio, para projetar uma seleção de curtas-metragens para os mais novos nos muros e nas fachadas de alguns dos bairros da cidade. O filme “Revolução” (1976), de Ana Hatherlty, vai ser projetado itinerantemente nas paredes da cidade, em andamento.

Haverá também uma programação online nestes três dias, com filmes acessíveis através de links disponibilizados gratuitamente nas redes sociais, com apresentações e comentários online.

No dia 25 de abril, à noite, será exibido o filme “Espírito de 45”, de Ken Loach, e contará com uma conversa entre Fernando Rosas e Miguel Cardina.

No dia 30, será feita uma homenagem a Chato Galante, ex-preso político do franquismo e resistente antifascista que esteve no Desobedoc 2019 e que foi uma das vítimas do Covid-19. O filme será “Lesa Humanitat”, de Héctor Faver, e terá Francisco Louçã à conversa com Martí Caussa e Roser Rius, ex-presos políticos e militantes pelo dever democrático do não- esquecimento.

No dia 1 de maio, dia do trabalhador, serão apresentadas 5 curtas-metragens que formam um mosaico sobre várias das facetas do trabalho. “Três vídeos de agitação feitos no quadro do MayDay Porto retratam com ironia esquemas de precarização como os recibos verdes, o trabalho temporário ou a empresarialização dos indivíduos e as respetivas narrativas empreendedoras de legitimação. Um outro documentário transporta-nos para o início do século e para as imagens do trabalho portuário e industrial do Porto de há cem anos. A ficção “Em Branco” mostra-nos o quotidiano desse trabalho invisível e não reconhecido das cuidadoras informais.” À conversa estará o deputado José Soeiro, a investigadora Maria da Paz Lima e a atriz Cleia Almeida.

A mostra de cinema insubmisso já reabriu o Cinema Trindade (aberto de forma permanente desde 2017) e o Cinema Batalha (abrirá definitivamente em 2021), no Porto, e o Cinema Ícaro, em Viseu (em 2018). A edição em formato de sala de cinema voltará em princípio ainda este ano, numa antiga sala de cinema do Porto.

“Como sempre, é livre a entrada nesta sala comum. Como livre se pretende o espírito e o debate.”