Direitos de “O Senhor dos Anéis” e “Hobbit” são colocados à venda

Os direitos autorais de produtos, filmes, videogames, propagandas, parques temáticos e eventos ao vivo de “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit” estão prestes a serem colocados à venda por 2 milhões de dólares e a Amazon já está de olho – obras publicadas após a morte do escritor, em 1973, também estarão à venda. “O Silmarillion” e “Os Contos Inacabados de Númenor e da Terra Média”, respectivamente.

De acordo com a revista Variety, a Saul Zaentz Co. que possui direitos de diversos filmes, jogos, merchandising, eventos e parques temáticos para várias propriedades de J.R.R. Tolkien, os anunciará em leilão neste final de semana. Cynthia Littleton, da Variety, apurou que o momento do processo de venda não é acidental. A Amazon está programada para estrear sua tão esperada e mega-orçada versão da série de TV da saga “O Senhor dos Anéis”“O Senhor dos Anéis: Os Anéis do Poder”, em 2 de setembro. Nesse sentido, a Amazon está no topo da lista dos principais candidatos para comprar os direitos adicionais agora detidos pela Saul Zaentz Co..

Robert Aramayo como Elrond para a série O Senhor dos Anéis

A venda extraordinária também incluirá os direitos de correspondência limitados se o Tolkien Estate, órgão legal que administra o trabalho de Tolkien, fizer filmes ou outros conteúdos baseados em trabalhos publicados após a morte do autor. A Saul Zaentz Co. contratou o banco ACF Investment Bank para trabalhar nas negociações. Littleton entrou em contato com os representantes da Saul Zaentz Co. e da ACF, mas ambos se recusaram a comentar.

O imbróglio judicial pelos direitos autorais de “O Senhor dos Anéis” já é antigo. Nisso, há anos a contenda é objeto de extensas ações legais. Nessa perspectiva, no início dos anos 2000, a Saul Zaentz Co. processou a Warner Bros. e a  subsidiária New Line Productions Inc. por sua participação nos lucros da trilogia de filmes de Peter Jackson.

O espólio de Tolkien e a editora Harper Collins também acionaram a justiça contra a Warner Bros. pelos lucros com as sequências O Senhor dos Anéis e O Hobbit – pelos lucros da premiada trilogia ”O Senhor dos Anéis”: “O Senhor dos Anéis: A Irmandade do Anel” (vencedor de 4 Óscares), “O Senhor dos Anéis: As Duas Torres” (vencedor de 2 Óscares e nomeado a 6 prêmios) e “O Senhor dos Anéis: O Regresso do Rei” (nomeado a 11 prêmios Óscares, vencendo todos), e os três filmes da trilogia “O Hobbit”: “O Hobbit: Uma Jornada Inesperada”, “O Hobbit: A Desolação de Smaug” e “O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos”.

Os filmes

Recordamos que, a Warner Bros. mantém alguns direitos cinematográficos, mas a Saul Zaentz Co. adquiriu alguns deles em 2021, já que a Warner não desenvolve nada ativamente da franquia. No meio desta confusão, a Amazon conseguiu os direitos para a série televisiva ao encontrar uma brecha no contrato da Saul Zaentz Co., e negociou diretamente com os detentores do espólio de Tolkien.

Em resumo, a Warner Bros. recusou-se a comentar a disputa judicial, mas acredita-se que o estúdio e a Saul Zaentz Co. já estão em dúvida sobre quem controla o quê quando se trata dos direitos de “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”, que foram objeto de extensos litígios ao longo dos anos.

Anteriormente, a Amazon havia anunciado um MMO baseado em “Senhor dos Anéis” em 2019, mas cancelou o desenvolvimento do mesmo em 2021, já que o estúdio com quem eles estavam trabalhando, Leyou, foi comprado pela Tencent. Já a Warner Bros. e sua subsidiária New Line Cinema, que lançaram a trilogia do cinema, estão desenvolvendo um longa em anime baseado na obra de Tolkien, até o momento intitulado: “The Lord of the Rings: The War of the Rohirrim”.

Skip to content