Durante o Festival de Sevilha a Academia de Cinema Europeu divulgou os nomeados para os European Film Awards 2011 (Prémios do Cinema Europeu). A liderar as nomeações está o filme francês “Amour”, de Michael Haneke, sobre um casal de idosos, que venceu a Palma de Ouro de Cannes 2012, está nomeado para seis categorias, incluindo Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Argumento e Melhor Fotografia. De seguida encontram-se dois filmes com cinco nomeações cada, “The Hunt”, Thomas Vinterberg, e “Shame”, de Steve McQueen. Está nomeado para quatro categorias “Tinker Tailor Soldier Spy”, incluindo Melhor Compositor (Alberto Iglesias) e “Caesar Must Die”, de Paolo Taviani e Vittorio Taviani “Amigos Improváveis”, de Olivier Nakache e Eric Toledano, estão nomeados para três categorias cada. É com muita pena que “Tabu”, de Miguel Gomes, que foi um dos 47 filmes seleccionados, não se encontre entre os nomeados. Portugal conta apenas com uma nomeação, “Manhã de Santo António”, de João Pedro Rodrigues, na categoria das curtas-metragens.

 

Os 2700 membros do EFA vão agora votar nos vencedores, que serão anunciados durante a 25ª cerimónia de entrega dos prémios, a 1 de dezembro, em Malta.

 

Melhor Filme Europeu

Barbara, de Christian Petzold

Caesar Must Die, de Paolo Taviani, Vittorio Taviani

The Hunt, de Thomas Vinterberg

Amour, de Michael Haneke

Shame, de Steve McQueen

Untouchable, de Olivier Nakache, Eric Toledano

 

Melhor Realizador

Nuri Bilge Ceylan, por Once Upon a Time in Anatolia

Michael Haneke, por Amour

Steve McQueen, por Shame

Taviani, Vittorio Taviani, por Caesar Must Die

Thomas Vinterberg, por The Hunt

 

Melhor Ator

François Cluzet, Omar Sy, em Untouchable

Michael Fassbender, em Shame

Mads Mikkelsen, em The Hunt

Gary Oldman, em Tinker Tailor Soldier Spy

Jean-Louis Trintignant, em Amour

 

Melhor Atriz

Emilie Dequenne, em Our Children

Nina Hoss, em Barbara

Emmanuelle Riva, em Amour

Margarethe Tiesel, em Paradise: Love

Kate Winslet, em Carnage

 

Melhor Argumentista

Michael Haneke, por Amour

Cristian Mungiu, por Beyond The Hills

Olivier Nakache, Eric Toledano, por Untouchable

Roman Polanski, Yasmina Reza, por Carnage

Thomas Vinterberg, Tobias Lindholm, por The Hunt

 

Melhor Cinematógrafo

Sean Bobbitt, por Shame

Bruno Delbonnel, por Faust

Darius Khondji, por Amour

Gökhan Tiryaki, por Once Upon a Time in Anatolia

Hoyte Van Hoytema, por Tinker Tailor Soldier Spy

 

Melhor Editor

Anne Østerud, Janus Billeskov Jansen, por The Hunt

Roberto Perpignani, por Caesare Must Die

Joe Walker, por Shame

 

Melhor Design de Produção

Maria Djurkovic, por Tinker Tailor Soldier Spy

Niels Sejer, por A Royal Affair

Elena Zhukova, por Faust

Alberto Iglesias, por Tinker Tailor Soldier Spy

 

Melhor Compositor

Gabriel Yared, Cyrille Aufort, por A Royal Affair

François Couturier, por Shun Li and the Poet

George Fenton, por The Angle’s Share

 

Prémio Revelação – FIPRESCI

Broken, de Rufus Norris (Reino Unido)

Kauwboy, de Boudewijn Koole (Holanda)

Reported Missing, de Jan Speckenbach (Alemanha)

Teddy Bear, de Mads Matthiesen (Dinamarca)

Twilight Portrait, de Angelina Nikonova (Rússia)

 

Melhor Documentáiro

Winter Nomads, de Manuel Stürler

London – The Modern Babylon, de Julien Temple

Tea or Electricity, de Jerôme le Maire

 

Melhor Filme de Animação

Alois Nebel, de Tomáš Luňák

Arrugas, de Ignacio Ferreras

The Pirates!, de Peter Loyd

 

Melhor Curta-Metragem Europeia

L’Ambassadeur et Moi, de Jan Czarlewski (Suíça)

Back of Beyond, de Michael Lennox (Reino Unido)

Beast, de Attila Till (Hungria)

How to Pick Berries, de Elina Talvensaari (Finlândia)

In the Open, de Albert Sackl, Markus Krispel & Franz Zar (Áustria)

Manhã de Santo António, de João Pedro Rodrigues (Portugal)

Objection VI, de Rolando Colla (Suíça)

Out of Frame, de Yorgos Zois (Grécia)

Silent, de L. Rezan Yesilbas (Turquia)

Superman, Spiderman or Batman, de Tudor Girugiu (Roménia)

Demain ça sera bien, de Pauline Gay (França)

Two Hearts, de Darren Thornton (Irlanda)

Vilaine Fille Mauvais Garçon, de Justine Triet (França)

Villa Antropoff, de Kaspar Jancis e Vladimir Leschiov (Letónia)