©Pedro Figueiredo

Family film Project 2021: vencedores

A edição deste ano do Family Film Project teve o número redondo dos dez anos e, no espírito do balanço, a ocasião proporcionou a celebração [d]as motivações que têm dado forma a este festival de cinema dedicado aos temas do arquivo, memória e etnografia. E, inevitavelmente, lançamos também um olhar retrospetivo sobre todo o percurso que nos trouxe até aqui. O balanço é francamente positivo, afirma a organização do festival portuense. Realizado entre os dias 12 e 16 de Outubro, entre o Passos Manuel, o Coliseu Ageas Porto e o Cinema Trindade, a edição deste ano contou com sessões competitivas que reúnem uma seleção de filmes provenientes de diversos continentes, divididas em secções temáticas: “Memória e Arquivo”, “Vidas e Lugares” e ainda uma sessão competitiva dedicada ao género da ficção. O realizador em foco deste ano foi o sueco Ruben Östlund Quadrado», «Força Maior»), e houve igualmente oportunidade para a masterclass de Carol Nguyen centrada no filme «No Crying at the Dinner Table» e a conversa com a realizadora portuguesa Catarina Vasconcelos, a propósito da sua filmologia «Metáfora ou a Tristeza Virada do Avesso» e «A Metamorfose dos Pássaros».

Catarina Vasconcelos ©Pedro Figueiredo

Destaque também para a parceria com a MICE – Mostra Internacional de Cinema Etnográfico (Galiza) –, que conta este ano com uma extensão na programação do Family Film Project, propondo uma seleção de filmes afins ao panorama temático de ambos os festivais parceiros, em sessões especiais (não competitivas) apresentadas por Ana Estévez Lavandeira, directora da MICE. E para o filme-concerto com Rui Reininho a trabalhar numa banda sonora original para The Shape of Things to Come, uma seleção de filmes amadores produzida pelo arquivo italiano Home Movies.

Rui Reininho ©Pedro Figueiredo

O 10º Festival Internacional de Cinema de Arquivo, Memória e Etnografia escolheu os seguintes vencedores:

PRÉMIO MELHOR LONGA-METRAGEM

NEITI AIKA / LADY TIME, DE ELINA TALVENSAARI

MENÇÃO HONROSA LONGA-METRAGEM

DE LOS NOMBRES DE LAS CABRAS / ON THE NAMES OF THE GOATS, DE MIGUEL G. MORALES E SILVIA NAVARRO

PRÉMIO MELHOR CURTA-METRAGEM

MY DAD’S VIDEO DIARY, DE DEBORA BOTTINO

MENÇÃO HONROSA CURTA-METRAGEM

LUI E IO, DE GIULIA COSENTINO

Skip to content