A oitava edição do FEST – Festival Internacional de Cinema Jovem de Espinho, que contou com 90 filmes de 20 países em competição, termina hoje, tendo os prémios sido atribuídos ontem. O filme islandês mais premiado de sempre, “Volcano”, de Rúnar Rúnarsson, venceu o prémio de melhor filme, o Castelo de Prata de Espinho. O filme conta a história de Hannes, um idoso que envelheceu longe dos seus filhos. Reformado antecipadamente devido à doença da mulher ele tenta reconciliar-se com a sua família e compensar a sua frieza do passado. A Melhor Curta de Animação veio da Polónia, com “What Happens When Kids Don’t Eat Soup, de Pavel Prewencki. O prémio de Melhor Filme Português foi atribuído à curta-metragem “Love is The Answer for the Lack of Argument”, de Jorge Quintela.

 

Castelo de Prata Ficção

Volcano, de Rúnar Rúnarsson, IS

 

Castelo de Prata Documentário

The Kingdom of Mister Edhi, de Amélie Saillez, BE

 

Melhor curta Experimental

Combustion, de Renaud Hallee, CA

 

Melhor curta Documental

ABC, de Valérie Mréjen, FR

 

Melhor curta Ficção 

Confinópolis, de Raphael Araújo, BR

 

Melhor curta Animação

What Happens When Kids Don’t Eat Soup, de Pavel Prewencki, PL

 

Melhor Filme Português

Love Is The Answer For The Lack of Argument, de Jorge Quintela

 

Prémio do público curta-metragem

To All My Friends, de Behrouz Bigdeli, DK

 

Prémio do público longa-metragem

170 Hz, de Joost van Ginkel, NL