Festival do Rio retoma a edição

O Festival do Rio foi criado em 1999 a partir da junção entre a Mostra Banco Nacional e o Rio Cine Festival, eventos que faziam parte do calendário cultural da cidade desde os anos 1980. De lá para cá, o Festival de firmou como um dos mais importantes do mundo e destino obrigatório para os principais destaques cinematográficos do ano. O evento é realizado pelo Cinema do Rio e pelo Cima Centro de Cultura, Informação e Meio Ambiente, responsáveis pela produção do Festival, realização da Première Brasil e pelo RioMarket, maior mercado do audiovisual da América Latina.

Alguns dos nomes mais importantes do cinema mundial já passaram pelo Festival apresentando seus filmes. Foram diretores como Roman Polanski, Costa-Gavras, Tom Tykwer, Dario Argento, Leos Carax, Im Sang-soo, João Pedro Rodrigues, Masahiro Kobayashi, Louis Malle, Carlos Saura, John Waters, Peter Greenaway, Stephen Frears, François Ozon, Todd Solondz e os irmãos Paolo e Vittorio Taviani.

Depois de um 2019 em que quase foi cancelado por falta de recursos e um 2020 em que foi de fato cancelado pela pandemia, o Festival do Rio começa nesta quinta-feira, dia 9, com cerca de 90 longas e 20 curtas-metragens exibidos em cinco cinemas.

Para a organização, é o recomeço de um festival realizado desde 1999 e que durante muito tempo foi reconhecido como o segundo maior evento anual do Rio no campo da cultura — no caso de um 2021 em que não houve carnaval, com grandes chances de ser o primeiro.

Em 2021, depois de marcar presença no Festival de Veneza, o novo filme de Pedro Almodóvar, “Madres Paralelas”, abrirá o Festival do Rio. Protagonizado por Penélope Cruz (‘Vicky Cristina Barcelona‘) e Rossy de Palma (‘Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos‘), o longa-metragem chegará à Netflix em 2022. Já o filme que fechará o Festival do Rio será ‘Nightmare Alley’, de Guillermo Del Toro.

Madres Paralelas de Pedro Almodóvar

A lista de filmes selecionados já foi divulgada, figuram na seleta lista, os sucessos de crítica: “Belfast”, filme mais pessoal do aclamado ator, cineasta e roteirista irlandês Kenneth Branagh, o vencedor da Palma de Ouro “Titane”, de Julia Ducorneau, o polêmico “Benedetta”, de Paul Verhoeven, o elogiável “Cyrano”, de Joe Wright e o ganhador do Cannes “Um Herói”, de Asghar Farhadi.

Este ano, além dos filmes premiados em festivais internacionais, o Festival do Rio também homenageará o cineasta chinês Wong Kar-Wai, que ganhou uma mostra com cinco filmes que serão exibidos novamente nas salas de cinema, incluindo os premiadíssimos “Felizes Juntos” e Amor à Flor da Pele. A programação das demais mostras será divulgada em breve.

A Première Brasil, seção dedicada aos nacionais, terá filmes como “Medida Provisória”, de Lázaro Ramos; “Eduardo e Mônica”, de René Sampaio; A viagem de Pedro, de Laís Bodanzky; “Alemão 2”, de José Eduardo Belmonte; “Saudade do futuro”, de Anna Azevedo, “Marinheiro das montanhas”, de Karim Aïnouz; e “Medusa”, de Anita Rocha da Silveira.

A Viagem de Pedro © Mostra de Cinema de São Paulo

Ao todo, o festival brasileiro exibirá 100 títulos. Infelizmente, uma mostra menor do que na época de quase 500 filmes e 50 telas. É uma seleção mais compacta, mas isso é uma tendência dos festivais. Todos estão se reestruturando — afirma Ilda Santiago, diretora-executiva do Festival do Rio.

“Quando tínhamos 500 filmes, havia alguns que eram vistos por apenas 100 pessoas. Onde estávamos errando? No número de filmes, na escolha do filme, na escolha da sala ou na comunicação com o público?”, indagou Santiago ao ‘O Globo’.

Para complicar as dúvidas de Ilda, veio o streaming. Depois a pandemia. Depois o streaming estourando na pandemia. Com cinemas fechados e festivais cancelados, o público fortaleceu um hábito e reduziu o outro.

“Tem que ter uma parte on-line e espero que, em 2022, o Festival do Rio tenha. Mas não é simplesmente repetir no on-line o filme que está na sala. O on-line pode nos ajudar a encontrar o público para aquele filme com o qual errávamos — diz Ilda. — E precisa, claro, da parte física. Para uma cidade, um festival é uma experiência de encontro e de descobrir coisas novas”, declarou Santiago ao ‘O Globo’.

O editorial do “O Globo” publicado nesta segunda-feira (06), destaca que ‘nos tempos de vacas gordas’, o Festival do Rio chegou a ter 300 mil espectadores. Mas a crise brasileira da última década foi reduzindo os patrocínios e tornando a organização mais difícil. A gestão de Marcelo Crivella como prefeito do Rio de Janeiro, entre 2017 e 2020, dificultou ainda mais ao retirar o investimento no evento. Em 2019, uma vaquinha virtual arrecadou R$ 600 mil para mantê-lo vivo. Desta vez, a prefeitura retorna, assinando o apoio ao Festival junto a Firjan e o Telecine (do grupo Globo).

 

5ª edição do Talent Press:

Em 2021, também acontece no âmbito do Festival do Rio, a 5ª edição do Talent Press Rio, o workshop contará com nosso colaborador Cláudio Azevedo como um de seus seletos participantes.

O Talent Press é uma iniciativa do Goethe-Institut, da Federação Internacional de Críticos de Cinema (Fipresci), da Berlinale Talents e do Festival do Rio, com apoio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), para quem não conhece, o workshop funciona como uma plataforma de capacitação de jovens críticas e críticos de cinema e jornalistas, a missão do Talent é proporcionar um mergulho nos bastidores de um grande festival de cinema internacional.

Na edição deste ano, os participantes foram selecionados (as) por uma comissão formada por profissionais da área e terão a oportunidade de estar virtualmente no Festival do Rio. Entre os selecionados está o nosso Cláudio Azevedo, juntamente com Adriana Vasconcelos, Ana Júlia Silvino, Diego Souza, Gabriel Araújo, Georgiane Abreu, Giuliana Zamprogno, Manuela Santos, Marcos Kingongo e Thiago Carrascoza. Além de acompanharem a programação do evento, os talents irão participar de seminários, mesas-redondas e masterclasses, sob a orientação de expoentes da área, imbuídos da missão de desenvolver conteúdo jornalístico (textos, vídeo-ensaios, podcasts) sobre os filmes vistos e a experiência do festival.

Segundo a organização do Festival do Rio, o Talent Press Rio busca contribuir para a formação e o treinamento de críticos e críticas de cinema que redigem em português, gerando assim oportunidades de intercâmbio entre os países de língua portuguesa nos campos da cultura, bem como reforçar os laços culturais em seus respectivos países. A organização ressalta que esse diálogo é fundamental para o desenvolvimento do processo político, social e cultural de países que têm no idioma um ponto em comum.

 

 

Confira os filmes já divulgados para edição de 2021:

 

Panorama Especial

‘A Chiara’, de Jonas Carpignano
‘A Fratura’, de Catherine Corsini
‘A Mulher que fugiu’, de Hong Sang-soo
‘Belfast’, de Kenneth Branagh
‘Belle’, de Mamoru Hosoda
‘Benedetta‘, de Paul Verhoeven
‘Compartment nº 6’, de Juho Kuosmanen
‘Cow’, de Andrea Arnold
‘Cyrano’, de Joe Wright
‘Diários de Otsoga’, de Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes
‘Drive my car’, de Ryusuke Hamaguchi
‘Encontros’, de Hong Sang-soo
‘O Festival do Amor’, de Woody Allen
‘Lágrimas de sal’, de Philippe Garrel
‘Má sorte no sexo ou pornô acidental’, de Radu Jude
‘Matar a la Bestia’, de Agustina San Martín
‘Memoria’, de Apichatpong Weerasethakul
‘Murina’, de Antoneta Alamat Kusijanović
‘Nove Dias’, de Edson Oda
‘O Homem Ideal’, de Maria Schrader
‘Pequena Mamãe’, de Céline Sciamma
‘Titane‘, de Julia Ducournau
‘Tre Piani’, de Nanni Moretti
‘Um Herói’, de Asghar Farhadi
‘Undine’, de Christian Petzold
‘Venice Beach, CA.’, de Marion Naccache
‘O Beco do Pesadelo’, de Guillermo Del Toro – Gala de Encerramento

 

Retrospectiva Cahiers du Cinema

‘A Marquesa d’O’, de Eric Rohmer
‘Ascensor para o cadafalso’, de Louis Malle
‘O dinheiro’, de Robert Bresson
‘La Jetée’, de Chris Marker
‘Loucuras de uma primavera’, de Louis Malle
‘Planeta Fantástico‘, de René Laloux
‘Os Caracóis’, de René Laloux
‘Paris nos pertence’, de Jacques Rivette
‘O Demônio das Onze Horas’, de Jean-Luc Godard
‘Z’, de Costa Gavras
‘Zazie no metrô’, de Louis Malle

 

Retrospectiva Wong Kar-Wai

‘2046’
‘Amor à Flor da Pele‘ (‘In the mood for love’)
‘Amores Expressos‘ (‘Chungking Express’)
‘Anjos Caídos’ (‘Fallen Angels’)
‘Felizes Juntos’ (‘Happy Together’)

 

Skip to content