Terminou no passado dia 1 de outubro a 4ª edição do Festival Olhares do Mediterrâneo – Cinema no feminino, em Lisboa, a maior de sempre com mais de 50 filmes exibidos. Na Competição Geral, o prémio do júri para a melhor longa-metragem foi atribuído ao filme de encerramento do festival, o drama francês “Willy 1er”, de Marielle Gautier, Ludovic Boukherma, Zoran Boukherma e Hugo P Thomas.

“Quando o seu gémeo morre, Willy decide deixar a casa dos seus pais. Muda-se para uma pequena cidade, próxima da sua, para começar de novo aos 50 anos. “Vou para Caudebec. Vou arranjar um apartamento. Vou ter alguns amigos. E vocês que se lixem!” Willy sai em busca do seu lugar num mundo desconhecido.”

O prémio do público para a melhor longa-metragem foi entregue aos filmes “80 and Counting” (Israel) e “Café Nagler” (Israel e Alemanha), tendo o prémio para a melhor curta-metragem sido entregue ao francês “Le Grand Bain”.

Vencedores
Prémio Júri Olhares do Mediterrâneo
Longa-metragem
Willy 1er, de Marielle Gautier, Ludovic Boukherma, Zoran Boukherma e Hugo P Thomas (França)
Curta-metragem
Groundlevel, de Ayris Alptekin (Turquia)

Prémio Travessias Olhares do Mediterrâneo
The Others, de Ayse Polat (Turquia)
Un Paese Di Calabria, de Shu Aiello e Catherine Catella (França/Itália)
Prémio Começar a Olhar
Tutte Le Cose Sono Piene Di Lei, de Maria Tilli (Itália)
Menção Honrosa
El Peso De La Manta (Espanha)
Women of Imetsen, de Hilali Kawtar (Marrocos/Suíça)

Prémio do Público – Longa-Metragem
Café Nagler, de Mor Kaplansky e Yariv Barel (Israel/Alemanha)
80 and Counting, de Lina Chaplin (Israel)

Prémio do Público – Curta-Metragem
Home Swim Home, de Valérie Leroy (Franla)

Fonte: Festival Olhares do Mediterrâneo