revolucao-Ana-Hatherly-1975-1

Jardins Efémeros 2021: Cinema

Dois anos depois sem Jardins em Viseu, os Jardins Efémeros estão de regresso à cidade, para a ocupar e fazer pensar. Sob o mote “a palavra e as linguagens”, a 9.ª edição dos Jardins Efémeros realiza-se entre 3 e 11 de julho, no Parque Aquilino Ribeiro e no Teatro Viriato.

“Os Jardins Efémeros (JE) são uma plataforma cultural multidisciplinar com sede em Viseu. Apresentam uma forte componente experimental, com objectivo de potenciar a relação entre artistas, curadores, investigadores, universidades, associações culturais, sociais, de comércio, turísticas, empresas, museus, escolas, município, residentes e visitantes.”

Este é um evento multidisciplinar que abrange áreas como o Som, Artes Visuais, Arquitectura, Cinema, Teatro e Dança, que reflectem sobre o mesmo tema, este ano focado na palavra e nas linguagens.

“A linguagem coloca-nos na relação com o Outro, como caminho e possibilidade, ao mesmo tempo que nos relaciona com o Mundo. E o filme é, ele próprio, uma linguagem. Este programa propõe uma viagem por vários universos da linguagem e da palavra, em sentido alargado, tais como, a dança, a música, a memória, a imagem, o experimentalismo, ou, inclusivamente, a própria impossibilidade da comunicação.”

O programa de cinema deste ano apresenta oito filmes, dos quais se destacam obras tão icónicas como “Revolução” (1975), de Ana Hatherly, filmado nas ruas de Lisboa, no pós 25 de Abril, com uma câmara Super 8, documentando os cartazes de propaganda política, os grafitis e os murais de ideologia revolucionária inscritos nas paredes da cidade. Destacam-se ainda: “Ballet Mécanique” (1924), de Fernand Léger e Duply Murphy, um filme experimental ligado à vanguarda histórica, mais especificamente ao dadaísmo e ao cubismo, com música do compositor americano George Antheil; o documentário “Pina” (2011), de Wim Wenders, sobre a vida e carreira da dançarina Pina Bausch; e “O Amor É um Lugar Estranho” (2003), a segunda longa-metragem realizada por Sofia Coppola, protagonizada por Bill Murray.

Programa de Cinema – Parque Aquilino Ribeiro

3 julho – 21h30
Revolução, de Ana Hatherly, 1975. 11’
Rhythmus 21, de Hans Richter, 1921, 3 ’
Word Movie, de Paul Sharits, 1966, 3 ’50’
Ballet Mécanique, de Fernand Léger e Duply Murphy, 1924, 14’
Spectateur Éternel, de Rui Calçada Bastos, 2016, 5’50’’

5 julho – 22h30
Pina, de Wim Wenders, 2011, 106 ’

6 julho – 22h30
Heart of a Dog, de Laurie Anderson, 2015, 75’

7 julho – 22h30
Lost in Translation (O Amor é um lugar estranho), de Sofia Coppola, 2003, 102’

Skip to content