Listen-Ana-Rocha-Sousa-2021-1

“Listen” é já o segundo filme português mais visto do ano

Foi o filme mais visto do fim-de-semana de estreia (22 de outubro) e continua a ser o mais visto da semana. Segundo dados do Instituto do Cinema e do Audiovisual, “Listen”, o premiado filme de Ana Rocha de Sousa, foi o filme mais visto da semana de 22 a 28 de outubro, por 13.511 espectadores.

Durante esta semana “Listen” foi claramente a preferência do público português. O segundo mais visto foi “Ava”, por 8.462 espectadores, seguindo-se “Greenland – O Último Refúgio” (5.148 espectadores) e “Liga dos Animais Fantásticos” (3.817 espectadores), ocupando o terceiro e quarto lugar, respectivamente. Ainda assim mais de 2300 pessoas viram “Tenet”, de Christopher Nolan, que ocupa o quarto lugar no ranking de filmes mais vistos em 2020, com 146.490 espectadores.

Com mais de 13 mil espectadores e com uma receita bruta de 76.241,39€, o filme de Ana Rocha ocupa já o segundo lugar no ranking de filmes nacionais mais vistos em 2020, estando apenas atrás de “O Filme do Bruno Aleixo” (24.010 espectadores). O terceiro filme português mais visto do ano até ao momento é “O Ano da Morte de Ricardo Reis” (11.007 espectadores) e “Ordem Moral” (10.261 espectadores) que ocupa o quarto lugar.

Baseado em factos reais, o filme aborda o drama de um casal português emigrado, a quem os serviços sociais retiram, injustamente, os filhos por suspeitas de maus tratos.

Produzido pela Bando à Parte, em coprodução com a Pinball London, com distribuição pela NOS Audiovisuais, “Listen” ocupa o 4.º lugar do ranking de filmes nacionais mais vistos em 2020. À sua frente encontra-se “Ordem Moral” (10.038 espectadores), “O Ano da Morte de Ricardo Reis” (10.106 espectadores) e “O Filme do Bruno Aleixo” (24.010 espectadores).

Protagonizado por Lúcia Moniz, Ruben Garcia e a atriz britânica Sophia Myles, “Listen” conta a história de Bela (Lúcia Moniz) e Jota (Ruben Garcia), que vivem nos subúrbios de Londres e acabam por enfrentar sérias dificuldades quando os ‘serviços sociais’ levantam suspeitas sobre a segurança dos seus três filhos. A surdez da filha de 7 anos desencadeia um processo no sistema que parece não ter fim, e tudo se complica com o passar do tempo.