Uma das grandes apostas da Disney e um dos blockbusters mais aguardados de 2020, “Mulan”, deixa de estrear nas salas de cinemas e passa a ter estreia mundial na plataforma de streaming Disney+ (Plus) a 4 de setembro, anunciou hoje o CEO da Disney, Bob Chapek. Uma estratégia que, tal como “Tenet”, de Christopher Nolan, pode mudar a distribuição da indústria cinematográfica.

O remake em live-action de “Mulan” poderá estrear em algumas salas de cinema seleccionadas em alguns países, mas apenas onde não existe o serviço de streaming e onde os cinemas já estejam abertos.

“Mulan” vai chegar à Disney+ em várias regiões (incluindo EUA, Canadá e vários países da Europa) a 4 de setembro. No entanto, o filme não vai estar no catálogo normal do serviço, mas sim como um conteúdo premium, pelo que custará custará 30 dólares (cerca de 25 euros).

“Vemos isto como uma oportunidade de levar este filme incrível a um público mais amplo, que atualmente é incapaz de ir às salas de cinema, além de aumentar ainda mais o valor e a atratividade de uma assinatura Disney+ com este ótimo conteúdo”, disse o CEO da Disney, Bob Chapek. “Dadas as rápidas mudanças no comportamento do consumidor, acreditamos que é mais importante do que nunca que continuemos a desenvolver o nosso relacionamento direto com os nossos clientes.”

Bob Chapek diz ainda que esta situação é pontual dada a pandemia da COVID-19, pelo que não se irá repetir no futuro com outras estreias. “Estamos a olhar para este lançamento de ‘Mulan’ como um caso isolado e não como uma alteração ao modelo de negócio baseado em janelas de tempo (…) Dito isto, achamos muito interessante poder levar a nossa estreia diretamente aos consumidores e aprender com eles e ver o que acontece, não apenas em termos de aceitação, do número de subscritores que obtemos na plataforma, mas também de número real de transações que obtemos nesta oferta de VoD.”

Atualmente o Disney+ tem mais de 60,5 milhões de subscritores em todo o mundo, em apenas nove meses. No dia 15 de setembro vai chegar a Portugal, Bélgica, Finlândia, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Suécia e Dinamarca.

A Disney mantém intenções em estrear “Mulan” nas salas de cinema da China, e espera que o filme seja um sucesso de bilheteira nesse país.

A estreia de “Mulan” já teve três datas em Portugal, passando de 26 de março para 23 de julho, e depois para 20 de agosto.

Realizado pela neozelandesa Niki Caro, esta é uma adaptação do clássico de animação de 1998, baseada na lenda chinesa de Hua Mulan, que conta a história desta jovem que se faz passar por um homem soldado para ajudar o pai que, mesmo doente, é recrutado para lutar pelo seu país após este ter sido invadido por mongóis.

“Mulan”, uma épica aventura que custou cerca de 200 milhões de dólares, foi filmado na Nova Zelândia e na China e conta no elenco com Liu Yifei, Yoson An, Gong Li, Donnie Yen, Jason Scott Lee, Ron Yuan, Jet Li, Tzi Ma, Jimmy Wong, Doua Moua e Chen Tang.

Tal como referido no início, devido à atual pandemia, assistimos a uma mudança na forma como se faz distribuição de cinema, e “Tenet” veio mudar tudo. No final de julho, a Warner Bros. anunciou que irá estrear “Tenet” por fases, sendo que Portugal está entre os mais de 70 países que vão receber primeiro a sua estreia.