Olhares do Mediterrâneo 2021: cinema feminino

O festival Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival teve a sua primeira edição em 2014 e é o primeiro festival internacional de cinema em Portugal dedicado exclusivamente à cinematografia feminina, com o propósito de dar particular visibilidade à presença das mulheres no panorama cinematográfico internacional. Para mostrar o trabalho das realizadoras de países mediterrânicos, criámos uma parceria com o festival Films Femmes Mediterranée, (Marselha, França) e o CRIA-Centro em Rede de Investigação em Antropologia.

Prestes a começar a 8ª edição, contam já com 7 edições do festival no Cinema São Jorge, em Lisboa, 6 ciclos de cinema espanhol, 8 extensões fora de Lisboa e 3 no estrangeiro (Brasil, Cabo Verde e Vigo), várias presenças no Shortcutz (Lisboa, Guimarães e Cascais) e numerosas exibições avulsas dos nossos filmes, muitas dinamizadas com debates.

Numa parceria com a Festa do Cinema Italiano, o festival abre dia 10 de Novembro, coincidindo com a sessão de encerramento da festa italiana, com o filme «The Macaluso Sisters» de Emma Dante, Um filme sobre o tempo e a família. A história de cinco mulheres e de laços mais fortes do que a morte. O filme estreia nas salas de cinema nacionais a 2 de Dezembro deste ano.

The Macaluso Sisters

Da Competição de Longas constam:

SUSPENDED WIVES
LMAALKAT
Merieme Addou
Marrocos, França, Qatar • Doc • 2021 • 77’ 
SEGUIDO DE MESA REDONDA NA SALA 2
Ghita, Latifa e Saadia procuram a sua liberdade através de um duro e longo processo de divórcio.

ESTHER FERRER. THREADS OF TIME
ESTHER FERRER. HILOS DE TIEMPO
Josu Rekalde
Espanha • Doc • 2020 • 69’ 
Uma viagem de comboio que vai reactivar a memória das performances de Esther Ferrer.

TEENAGE LOCKDOWN TALES
MES 15 ANS DANS MA CHAMBRE
Marie Pierre Jaury e Charlotte Ballet-Baz
França • Doc • 2020 • 52’ 
Um retrato íntimo da adolescência em 2020, durante o confinamento na França.

FIRST YEAR OUT
PREMIÈRE ANNÉE DEHORS, JOURNAL DE BORD
Valérie Manns
França • Doc • 2019 • 71’ 
Três homens adaptam-se ao primeiro ano de liberdade depois de sair da prisão.

SUGAR CAGE
Zeina Alqahwaji
Síria, Líbano, Egipto • Doc • 2019 • 60’ 
Numa tentativa de documentar uma vida parada, a realizadora filma a vida privada dos pais idosos ao longo de oito anos, desde o início da guerra na Síria.

WORKING WOMAN
ISHA OVEDET
Michal Aviad
Israel • Fic • 2018 • 93’ 
Trabalhadora, talentosa e ambiciosa, Orna enfrenta um crescente assédio sexual no trabalho que acaba por afectar toda a sua vida.

ELAS TAMBÉM ESTIVERAM LÁ
THEY WERE THERE TOO
Joana Craveiro
Portugal • Doc • 2021 • 105’
SEGUIDO DE MESA REDONDA NA SALA 2
Um documentário poético que questiona a invisibilidade das mulheres nos processos históricos.

Da Competição de Curtas destaque para as produções portuguesas:

A MENINA PARADA
THE GIRL WHO STOOD STILL
Joana Toste
Portugal • Anim • 2021 • 9’
“Nada” torna-se “tudo” através de “algo”.

A RAIZ DA MARGEM
FOLLOWING THE TIDE
Sílvia Coelho e Paulo Raposo
Portugal • Doc • 2020 • 19’
Uma paisagem habitada resiste à pressão industrial e urbana, enfrentando actualmente um iminente desaparecimento.

O OFÍCIO DA ILUSÃO
THE ART OF DELUSION
Cláudia Varejão
Portugal • Doc • 2020 • 6’
Imagens de um arquivo de família das décadas de 70 e 80, pequenos excertos sonoros de filmes… A desobediência queimará o caminho outrora idealizado para as mulheres.

POÉTICAS DO CANTO POLIFÓNICO
Maria do Rosário Pestana
Portugal • Doc • 2019 • 29’
Uma viagem pelas polifonias e cantares femininos nas montanhas de Portugal.

O Festival, que durante cinco dias celebra o cinema em feminino, conta ainda com Mesas Redondas sobre “GÉNERO E FAMÍLIA EM CONTEXTOS ÁRABES”; “FRONTEIRAS GEOGRÁFICAS, LEGAIS E SIMBÓLICAS: LIMITES VISÍVEIS E INVISÍVEIS”; e “MULHERES NA RESISTÊNCIA E NA REVOLUÇÃO”.

Não perca a oportunidade de Masterclass, e do Workshop “O Cinema na Educação”.

O Olhares traz-nos, nesta edição, um Olhar Acessível: a curta-metragem FLOR DE ESTUFA, de Laís Andrade (Portugal • Fic • 2021 • 15’) será uma curta acessível a pessoas com deficiência visual, com a audiodescrição (AD) de Flor de Estufa, mantendo a parceria com a Sintagma Lda e a especialista Eliana Franco, apoiada pela consultora com deficiência visual Elizabet Dias de Sá. O filme será exibido juntamente com outras curtas-metragens e proporcionará uma experiência única a todos os espectadores da sessão, como reporta a organização.

Flor de Estufa

A sessão de encerramento acontece dia 14 de Novembro, com a exibição do filme «Holy Boom», de Maria Lafi, e que conta a vida de quatro desconhecidos que moram no mesmo bairro em Atenas muda radicalmente quando um grupo de adolescentes faz explodir um marco de correio, provocando a destruição de alguns documentos de importância vital: uma certidão de nascimento, a carta de uma criança abandonada, um conjunto de autocolantes embebidos de LSD… À medida que as narrativas convergem, a dureza da vida de imigrante na Grécia é desvendada.

 

Os bilhetes encontram-se à venda em Ticketline e na bilheteira do Cinema São Jorge.

Toda a info aqui.

Skip to content