oscares-candidato-filme-portugues-2021

Óscares 2021: Academia de Hollywood recusa “Listen” para representar Portugal 

A Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS) recusou o filme “Listen”, realizado por Ana Rocha de Sousa, para representar Portugal na categoria de Melhor Filme Internacional, na 93.ª edição dos Óscares da Academia Americana de Cinema.

A Academia Portuguesa de Cinema foi informada de que “após análise do filme “Listen” de Ana Rocha de Sousa, e apesar das particularidades da narrativa justificarem o recurso a diálogos em língua inglesa, o comité internacional da AMPAS considerou a candidatura não elegível e solicita o envio de um novo candidato com a máxima urgência possível.”

Os membros da Academia Portuguesa de Cinema têm agora de votar com urgência até ao próximo domingo (20 de dezembro), para a escolha de um novo candidato de Portugal aos Óscares 2021, entre três filmes: “Mosquito”, de João Nuno Pinto (Leopardo Filmes), “Patrick”, de Gonçalo Waddington (O Som e a Fúria) e “Vitalina Varela”, de Pedro Costa (OPTEC).

Em comunicado, a Academia Portuguesa de cinema refere que “apesar das particularidades da narrativa do filme justificarem o recurso a diálogos em língua inglesa, o factor de exclusão prende-se com um dos critérios de elegibilidade que obriga a que pelo menos 50% do filme candidato seja falado em língua não-inglesa.”

Segundo o Presidente da Academia, Paulo Trancoso, “Ainda na fase de consideração de todos os filmes nacionais potencialmente elegíveis contactámos a AMPAS no sentido de obter esclarecimentos que fundamentassem a decisão de excluir ou incluir o filme de Ana Rocha de Sousa da lista de candidatos em consideração. Em resposta à APC, a AMPAS comunicou que apenas poderiam deliberar sobre a elegibilidade de um filme após o encerramento do prazo regular de submissões, existindo sempre a possibilidade de submeter um novo candidato caso o primeiro fosse rejeitado. Atendendo ao facto de que o filme justifica o recurso à língua inglesa por retratar a história de um casal imigrante português em Londres, e que uma parte considerável do mesmo tem diálogos em português e em língua gestual, o filme foi pré-selecionado pelo comité de seleção e acabou por ser o mais votado pelos membros da APC. Sabíamos que a aceitação do filme enquanto candidato de Portugal dependeria da flexibilidade do comité internacional da AMPAS e estávamos confiantes de que o contexto particular desta candidatura justificaria a sua aceitação, mas no final isso acabou por não acontecer.”

“Parece que a Academia do Cinema Português vai repetir a votação do filme candidato a Oscar para filme estrangeiro! O Listen, filme escolhido, não é elegível por ser falado maioritariamente em Inglês. Pena que a Academia Portuguesa (não sou membro) desconheça regra da língua que consta no regulamento dos Óscares da Academy of Motion Pictures, Arts and Sciences!”, escreveram Gonçalo Waddington e Luís Urbano no Facebook.

Esta é uma situação inédita que já na altura da sua eleição de candidato português aos Óscares 2021 levantou muitas dúvidas se seria um candidato elegível. Agora confirma-se que a Academia Portuguesa terá de escolher outro candidato.

“Listen”, a primeira longa-metragem de Ana Rocha de Sousa, é atualmente o filme português mais visto do ano, com quase 40 mil espectadores. Conquistou seis galardões na 77.ª edição do Festival de Cinema de Veneza (Leão do Futuro – Melhor primeira obra, Prémio especial do Júri – secção Horizontes, Bisato d’Oro – Melhor filme, Sorriso Diverso Veneza – Melhor filme estrangeiro – causas sociais, Casa Wabi – Mantarraya Award, e Hollywood Foreign Press Association).