oscares-2022-dolby-theatre-1

Óscares 2022: Audiências sobem 56% em relação ao ano passado, mas continua a ser o segundo pior da história

A 94.ª cerimónia dos Óscares atraiu mais espectadores do que a cerimónia de 2021, mas ainda assim ficaram bem a baixo de anos anteriores. As audiências subiram 56% em relação ao ano passado, mas continua a ser o segundo pior resultado da história.

A cerimónia que regressou à belíssima sala do Dolby Theatre, em Hollywood, com três apresentadoras, e que durou quase quatro horas, foi vista por 15,36 milhões de espectadores, segundo avança a imprensa norte-americana. Os números de audiências mostram uma subida de 56% em relação à cerimónia de 2021, que continua a ser a mais baixa da história dos Óscares, com cerca de 10,40 milhões de espectadores, e que levou a Academia e o canal ABC a fazer alterações ao formato do programa na tentativa de atrair mais espectadores.

Os Óscares 2022, que premiaram “CODA: No Ritmo do Coração” com três estatuetas douradas, incluindo a de Melhor Filme, são assim o segundo pior resultado da história dos prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS).

A última vez que os Óscares tiveram um anfitrião, em 2018, a cerimónia foi vista por 26,62 milhões de espectadores (uma das mais baixas audiências), apresentado pelo comediante Jimmy Kimmel, que apresentou também em 2017. Em 2019, sem apresentador, as audiências da cerimónia dos Óscares subiram para os 29,56 milhões, mas voltaram a cair em 2020 para os 23,64 milhões e para os 10,40 milhões em 2021. Depois de três anos sem apresentador, a AMPAS voltou ao formato de apresentador.

A edição dos Óscares mais vista de todos os tempos é a de 1998, com 57,25 milhões de espectadores, quando “Titanic” venceu o prémio de Melhor Filme. Já no século XXI, o ano com melhores resultados é 2000, a 72.ª edição, em que “Beleza Americana” venceu o Óscar de Melhor Filme, com mais 46 milhões de espectadores. Em 2010, cerca de 41,6 milhões assistiram à cerimónia que fez história por atribuir pela primeira vez o Óscar de Melhor Realização a uma mulher, Kathryn Bigelow, por “The Hurt Locker”, que venceu também o prémio de Melhor Filme.

Audiências dos Óscares (2010 – 2022):
2022 – 15,36 milhões
2021 – 10,40 milhões
2020 – 23,64 milhões
2019 – 29,56 milhões
2018 – 26,5 milhões
2017 – 32,9 milhões
2016 – 34,3 milhões
2015 – 37,7 milhões
2014 – 40,3 milhões
2013 – 40,3 milhões
2012 – 39,4 milhões
2011 – 37,9 milhões
2010 – 41,6 milhões

Skip to content