"The Royal Road" (2015)_1

Decorreu à instantes a Sessão de Encerramento da primeira edição do Festival de Cinema Queer Porto, no Auditório Isabel Alves Costa, no Teatro Municipal Rivoli. O júri da competição oficial, composto por José Capela, Rui Filipe Oliveira e Toby Ashraf decidiu atribuir o Prémio para Melhor Filme ao documentário “The Royal Road”, de Jenni Olson. Segundo o Júri: “Este enigmático filme-ensaio de Jenni Olson questiona paradigmas instituídos de representação, historiografia e linguagem cinematográfica. Produz uma colagem pessoal de imagens quase fotográficas de arquitetura e paisagens californianas, que parecem desprovidas de presença humana. Ao silêncio sobrepõe-se apenas a voz de Jenni Olson a falar sobre as suas amantes do passado, épocas esquecidas e clássicos da história do cinema norte-americano. The Royal Road testa os limites da linguagem cinematográfica de uma forma austera mas brilhante. Olson mistura discurso e animações didáticas, relatos de relações lésbicas e o pensamento de Brecht, reflexões sobre as guerras nacionais e comentários sobre personagens de filmes. Complexo no conteúdo, simples na forma e rigoroso no ritmo e na estrutura, The Royal Road é um belíssimo anti-filme invulgarmente fértil para o pensamento.”.

O público do Queer Porto premiou ainda o documentário “De Gravata e Unha Vermelha”, de Miriam Chnaiderman, com o Prémio de Público para Melhor Filme.

Ao todo foram exibidos 28 filmes de 13 países sendo que já está marcado o encontro para a 2ª edição do Queer Porto, de 4 a 8 de outubro de 2016.

Competição Oficial

Melhor Filme

The Royal Road, de Jenni Olson (EUA, 2015)

Menção Especial

The Night, de Zhou Hao (China, 2014)

Prémio do Público

De Gravata e Unha Vermelha, de Miriam Chnaiderman (Brasil, 2014)