Depois de Spike Lee, numa entrevista ao programa “In the Morning” da estação de rádio nova-iorquina WOR, ter partilhado os seus pensamentos sobre a forma como Woody Allen tem sido tratado pela indústria do cinema, Lee postou um tweet pedindo desculpa pelas suas palavras, que apelidou agora de “erradas“. Nessa mesma entrevista, Lee afirmou que, para além de ser seu amigo, considera Allen “um grande, grande cineasta”.

“Peço profundamente desculpas. As minhas palavras estavam erradas. Eu não tolero e nunca irei tolerar assédio sexual, agressões ou violência. Esse tipo de tratamento causa danos reais que não podem ser minimizados.”

É de relembrar que Woody Allen foi acusado de molestar a sua filha Dylan Farrow quando esta tinha sete anos de idade, no início da década de 90. Allen negou sempre a acusação e nunca chegou a ser acusado formalmente.

No início deste ano, Woody Allen lançou “Apropos of Nothing”, um livro de memórias editado pela Arcade Publishing, depois da sua editora original, a Hachette Book Group, ter desistido do mesmo após ser alvo de críticas generalizadas.

Spike Lee lançou o seu mais recente filme, “Da 5 Bloods: Irmãos de Armas”, na passada sexta-feira, na plataforma de streaming Netflix.