Telluride é o nome de uma pequeníssima cidade no estado do Colorado, no coração dos Estados Unidos da América. É também onde decorre anualmente o Telluride Film Festival, um dos mais famosos festivais de cinema do país. Foi nesta cidade perdida nas Montanhas Rochosas onde estrearam os filmes “O Discurso do Rei” (2010), “Argo” (2012), “12 Anos Escravo” (2013) e “Moonlight” (2016) – todos vencedores do Óscar de Melhor Filme.

A 46.ª edição terminou no passado dia 2 de Setembro e foi palco de inúmeras estreias mundiais, das quais se destacaram as seguintes:

1. Le Mans ’66: O Duelo”, de James Mangold

O título mais aguardado do festival era sem dúvida “Le Mans ’66: O Duelo” (título original “Ford v Ferrari”). James Mangold – realizador dos filmes “Vida Interrompida” (1999), “Walk the Line” (2005) e “Logan” (2017) – traz para o grande ecrã a rivalidade entre a Ford e a Ferrari. O filme conta a história verídica do famoso designer da indústria automóvel Carroll Shelby (Matt Damon), incumbido pela Ford de desenhar um carro capaz de derrotar a imbatível Ferrari. Christian Bale interpreta Ken Miles, o piloto de carros de corrida que se junta a Shelby.

O filme foi imediatamente aclamado como um dos melhores do ano. A sua nomeação para o Óscar de Melhor Filme é quase certa. Com ela virão nomeações nas categorias técnicas, como Montagem de Som, Mistura de Som e Montagem. Mais difíceis serão algumas das categorias principais, como Realizador, Actor (Bale) e Argumento Original.

Estreia em Portugal: 14 Novembro 2019.

2. “The Two Popes”, de Fernando Meirelles

A presença da Netfllix nos mais importantes festivais de cinema do mundo continua. Depois da estreia mundial de “Marriage Story”, “The Laundromat” e “The King” em agosto no Festival de Veneza, seguiu-se “The Two Popes”.

Este filme biográfico realizado por Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”, 2002) foi a sensação do Festival de Telluride. Anthony Hopkins e Jonathan Pryce interpretam, respectivamente, o Papa Bento XVI e o então Cardeal Jorge Mario Bergoglio (o actual Papa Francisco). O filme foi um sucesso inesperado entre os críticos, que elogiaram o humor e aplaudiram as grandes interpretações de Hopkins e Pryce, dois titãs da representação.

Uma coisa é garantida: Pryce e Hopkins serão nomeados para os Óscares de Melhor Actor e Melhor Actor Secundário, respectivamente. As nomeações para Filme e Argumento são também fortes possibilidades. Tudo dependerá do quão concorridas estiverem estas categorias.

Ainda sem data de estreia em Portugal. Estreia na Netflix a 20 Dezembro 2019.

3. “Waves”, de Trey Edward Shults

“Waves” é o terceiro filme de Trey Edward Shults. Os seus filmes anteriores – “Krisha” (2015) e “Ele Vem à Noite” (2017) – foram ambos distribuídos pela A24, a prestigiada produtora e distribuidora indie. “Waves” é um drama familiar que em muito se assemelha a “Moonlight” de Barry Jenkins: ambos tiveram a sua estreia mundial no Festival de Telluride, ambos foram distribuídos pela A24, e ambos retratam a vida de uma família afro-americana na Flórida. “Moonlight” venceu o Óscar de Melhor Filme de 2016. “Waves” poderá repetir o feito em 2019.

O filme tem sido louvado em quase todos os aspectos do cinema: a realização e o argumento original de Shults; a banda sonora de Trent Reznor e Atticus Ross, vencedores desse mesmo Óscar por “A Rede Social” (2010); a cinematografia de Drew Daniels; e o elenco, particularmente a interpretação de Sterling K. Brown (forte candidato ao Óscar de Melhor Actor Secundário).

Ainda sem data de estreia em Portugal.

4. “Judy”, de Rupert Goold

No último artigo sobre o Festival de Toronto 2019, falámos sobre o conceito de “filme-veículo”, ou seja, um filme cujo o único intuito é o de virar o holofote para um grande actor. Pois estamos na presença de mais um desses casos com “Judy”.

Vencedora do Óscar de Melhor Actriz Secundária por “Cold Mountain” (2003), mas mais conhecida pela personagem titular de “O Diário de Bridget Jones” (2001), Renée Zellweger está de regresso ao grande ecrã. “Judy” traz à tela o último ano de vida da amada estrela de cinema Judy Garland – uma biografia mesmo ao gosto da Academia. O filme podia ter sido mais bem recebido, mas o desempenho de Zellweger foi universalmente aplaudido. A nomeação para Melhor Actriz é garantida. A vitória? Ainda não é certa, mas neste momento a favorita é ela.

Estreia em Portugal na próxima quinta-feira, 10 Outubro 2019.

5. “Uncut Gems”, dos irmãos Safdie

O cinema dos irmãos Safdie – “Heaven Knows What” (2014) e “Good Time” (2017) – não é propriamente o género da Academia. O seu novo filme, “Uncut Gems”, é uma comédia dramática com Adam Sandler no papel de um ourives nova-iorquino que se mete em apuros nos negócios. A Netflix comprou os direitos de distribuição internacional do filme. Os relatos iniciais confirmam o carácter não-Óscar do filme, com excepção para Sandler, cuja tão elogiada interpretação coloca-o na corrida ao Óscar de Melhor Actor.

Ainda sem data de estreia em Portugal. Conta-se que estreie na Netflix em Dezembro 2019 ou Janeiro 2020.