angustia-guarda-redes-momento-penalty-wim-wenders-close-up-2020

5.ª edição do CLOSE-UP – Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão acontece em outubro

Está a chegar mais um Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão, a 5.ª edição do CLOSE-UP, que se realiza de 10 a 17 de outubro em vários espaços da Casa das Artes, “no habitual encontro entre ficção e documentário, produção contemporânea e história do Cinema”.

A quinta edição do CLOSE-UP adaptou-se aos tempos em que vivemos e, garantindo a segurança dos espectadores, mas sem abdicar da “importância da relação do público com a sala de cinema”, propõe mais uma vez um espaço de reflexão, de construção e de encontros. “A história do Cinema estará no cerne da programação do Observatório, sustentada no legado da linguagem das imagens em movimento: da arqueologia das imagens fantasmáticas do virar do séc. XX, até ao universo digital e da multiplicação de ecrãs do séc. XXI.”

“Com cerca de 30 sessões de cinema contemporâneo cruzadas com a história do Cinema na fase mexicana de Luis Buñuel, sob o mote do Cinema na Cidade, incluindo filmes-concerto pelos Black Bombaim & Luís Fernandes (em estreia) e por Cristina Branco, filmes comentados (por realizadores, jornalistas, académicos), um panorama pela obra de Pedro Filipe Marques, com uma carta branca ao realizador, sessões especiais, conversas, música e poesia no café-concerto e no foyer e sessões para famílias e para escolas, com filmes, oficinas e uma masterclasse de Luís Azevedo.”

O programa de filmes concerto propõe o cruzamento de linguagens: “A Idade de Ouro” (1930), de Luis Buñuel, musicado ao vivo pelo rock corpulento dos Black Bombaim e pela eléctronica de Luís Fernandes (na sessão de abertura); e “The River” (1928), de Frank Borzage, musicado pela voz de CristinaBranco (na sessão de encerramento).

No programa de Paisagens Temáticas, “apresentadas através de pinceladas individuais e distintas, de novos e menos novos realizadores”, serão exibidos os seguintes filmes: “A Angústia do Guarda-Redes no Momento do Penalty” (1972), de Wim Wenders, “Os Miseráveis” (2019), de Ladj Ly, “Bacurau” (2019), de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, “A Última Vez que Vi Macau” (2012), de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, “Os Inúteis” (1953), de Federico Fellini, “Alis Ubbo” (2018), de Paulo Abreu, “A Cidade Branca” (1983), de Alain Tanner, e “Sacavém” (2019), de Júlio Alves.

Destaque ainda para a exibição de filmes como: “A Nossa Forma de Vida” (2012), de Pedro Filipe Marques, “A Costa dos Murmúrios” (2004), de Margarida Cardoso, “O Grande Ditador” (1940), de Charlie Chaplin, e “Debaixo do Céu” (2018), de Nicholas Oulman.

Fonte: CLOSE-UP