Especial “A Cidade e as Salas de Cinema. As Salas de Cinema e a Cidade”

Depois do 25 de abril de 1974, surgiram na cidade os primeiros centros comerciais, como é o caso do Shopping Brasília, inaugurado em 1976 na rotunda da Boavista. Foi considerado o maior centro comercial da cidade. No ano seguinte, é aberto o cinema Charlot, o primeiro cinema dentro de um centro comercial. Tratava-se de uma sala de luxo, composta por 400 lugares e dois camarotes, com a melhor tecnologia da altura. As cadeiras eram autênticos sofás, uma novidade que na época atraiu muito público que queria ir ao cinema mais pela novidade das cadeiras, do que propriamente pelos filmes. Este tipo de salas mais modernas eram consideradas estúdios. Um dos primeiros e mais importantes estúdios da cidade foi o Estúdio Foco, também na Boavista. Tal como o Charlot, a projeção do Foco estava equipada com projetores Philips (modernos para a época).

Nas duas décadas seguintes surgiram os primeiros grandes centros comerciais, quase sempre na periferia da cidade, com cinemas multiplex, abandonando assim o tradicional cinema do centro da cidade. Um multiplex é um complexo de cinema com várias telas, geralmente mais do que uma tela dentro de um único complexo. Este tipo de cinemas não são novidade dos anos 90, tendo começado a surgir logo nos anos 40, nos EUA e no Canadá. Em Portugal, mais concretamente na cidade do Porto, estes surgiram em força apenas na década de 90. A novidade dos multiplex, que ofereciam melhor qualidade visual e sonora, com mais salas e mais sessões por dia, levou ao inevitável encerramento dos cinemas clássicos do centro da cidade. Muitas das salas que tem sido referenciadas nos artigos anteriores, como o Charlot, Batalha, Vale Formoso, Trindade, Foco, Júlio Diniz e Pedro Cem, encontram-se encerradas há mais de vinte anos. Quase todas estas salas mantém ainda o equipamento de projeção, a plateia e as memórias de outros tempos.

Em 1994 foram inauguradas as quatro salas de cinema do Shopping Cidade do Porto, com capacidade para cerca de 650 espectadores, sendo este o primeiro multiplex de raiz existente na cidade do Porto. Ao longo dos anos este cinema tornou-se num dos poucos locais onde era exibido cinema alternativo, o que com uma renda elevada e pouco público, levou ao encerramento das quatro salas em julho de 2010. Em 1996 foram inauguradas as cinco salas de cinema do Central Shopping, sendo este também um dos primeiros multiplex no centro da cidade. A trilogia de “O Senhor dos Anéis” ainda chegou a exibir aqui, sempre com sessões lotadas, mas o multiplex viria a ser encerrado em 2004. No mesmo ano, em 1996, surgiu em Vila Nova de Gaia o Arrábida Shopping, que possui o maior multiplex de cinema do país, com vinte salas. Este ainda continua no ativo, explorado agora pela empresa espanhola UCI Cinemas.

Muitos mais shoppings foram abrindo ao longo dos anos, sempre com o modelo de cinemas multiplex, como por exemplo o MaiaShopping (Maia, 1997), o NorteShopping (Matosinhos, 1998), o Parque Nascente (Gondomar, 2003), o Dolce Vita (Porto, 2005), o MarShopping (Matosinhos, 2008). Estes cinco possuem cinemas que são geridos pela empresa NOS Audiovisuais, antiga ZON Lusomundo. Os Cinemas NOS possuem cerca de 44 salas, em todo o Grande Porto.