Introdução

O panorama do cinema português tem vindo a sofrer algumas alterações ao longo dos anos, alterações essas que se notam na qualidade e estética dos filmes e que por sua vez se reflectem na opinião e sucesso entre a critica e espectadores; e embora estas alterações sejam ainda um tanto quanto lentas, já se pode começar a notar uma nova identidade no cinema nacional.

 

É essa mesma identidade que irá ser abordada ao longo dos próximos cinco dias (no total são 6 artigos). Os redactores deste site (Eduardo Magueta e Tiago Resende) escolheram quatro filmes que serão analisados dentro do contexto histórico do cinema português; as diferenças e influencias face aos filmes e cineastas que vêm de trás bem como aquilo que trazem de novo para as nossas salas de cinema. Os filmes em questão são: “Alice” de Marco Martins“Filme doDesassossego” de João Botelho, “Mistérios de Lisboa” de Raul Ruiz e “José ePilar” de Miguel Gonçalves Mendes. Todos estes filmes são realizados por realizadores de diferentes gerações, com diferentes “backgrounds” e com diferentes posturas, e como tal, cada um deles traz algo de particular para esta lenta mudança do nosso cinema, uma mudança que só com o passar do tempo se poderá ditar boa ou má. Esperamos que aproveitem este pequeno trabalho!

 

Parte 1 – Introdução

Parte 2 – O início da mudança do cinema português

Parte 3 – Alice, de Marco Martins

Parte 4 – Filme do Desassossego, de João Botelho

Parte 5 – Mistérios de Lisboa, de Raoul Ruiz

Parte 6 – José e Pilar, de Miguel Gonçalves Mendes

Parte 7 – Conclusão