Depois de “Cartas da Guerra” de Ivo Ferreira ter sido anunciado a concurso para o Urso de Ouro de longas-metragens, a organização do Berlinale anunciou a lista de curtas-metragens. As curtas portuguesas, representadas pela Portugal Film, “Balada de um Batráquio”, de Leonor Teles, e “Freud und Friends”, de Gabriel Abrantes, vão fazer parte da competição oficial de curtas Berlinale Shorts. A mesma secção que João Salaviza venceu o Urso de Ouro com “Rafa”, em 2012.

“Balada de um Batráquio” é o primeiro filme realizado por Leonor Teles (autora do filme multi premiado “Rhoma Acans”) fora da escola de cinema. Trata-se de um documentário de 11 minutos produzido pela Uma Pedra no Sapato, que de acordo com a realizadora nasce da revelação da “tradição portuguesa de colocar sapos de loiça à entrada de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais para afastar e impedir a frequência de pessoas ciganas.”.

Gabriel Abrantes regressa à competição do festival de Berlim, depois de em 2014 ter estado nesta secção com a curta Taprobana. Desta vez apresenta “Freund und Friends”, um dos segmentos que compõem o filme “Aqui, em Lisboa”, produzido pela IndieLisboa – Associação Cultural para celebrar o 10º aniversário do festival. “Com a ajuda dos mais consagrados neurocientistas, “Herner Werzog” viaja ao interior do cérebro de artistas e realizadores de todo o mundo para documentar os seus sonhos. Em Lisboa, a vítima será o jovem realizador Gabriel Abrantes.”.

Há ainda outra participação portuguesa, fora de competição, na secção Forum Expanded, o filme “L’Oiseau de la Nuit” de Marie Losier, que também integra a longa “Aqui, em Lisboa”.

A lista oficial de curtas Berlinale Shorts é composta por 25 filmes, oriundos de 21 países. A 66ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim decorre de 11 a 21 de fevereiro.

 

Berlinale Shorts

Another City, Pham Ngoc Lan, Vietnam, 25’ (WP)
Bai Niao (White Bird), Wu Linfeng, People’s Republic of China, 30’ (WP)
Balada de um Batráquio (Batrachian’s Ballad), Leonor Teles, Portugal, 11’ (WP)
El Buzo (The Diver), Esteban Arrangoiz, Mexico, 16’ (IP)
Das águas que passam (Running Waters), Diego Zon, Brazil, 23’ (WP)
Estate (Summer), Ronny Trocker, France / Belgium, 7’ (WP)
Freud und Friends (Freud and Friends), Gabriel Abrantes, Portugal, 23’ (EP)
He Who Eats Children, Ben Russell, USA, 25’ (WP)
Hopptornet (Ten Meter Tower), Axel Danielson & Maximilien Van Aertryck, Sweden, 17’ (IP)
In the Soldier’s Head, Christine Rebet, USA / France, 4’ (WP)
Jin zhi xia mao (Anchorage Prohibited), Chiang Wei Liang, Taiwan, 16’ (IP)
Kaputt (Broken – The Women’s Prison at Hoheneck), Volker Schlecht & Alexander Lahl, Germany, 7’ (WP)
Love, Réka Bucsi, France / Hungary, 14’ (WP)
A Man Returned, Mahdi Fleifel, United Kingdom / Netherlands / Denmark, 30’ (IP)
Moms On Fire, Joanna Rytel, Sweden, 12’ (IP)
Los murmullos (Murmurings), Rubén Gámez, Mexico, 25’ – Out of competition
Notre Héritage (Our Legacy), Jonathan Vinel in collaboration with Caroline Poggi, France, 24’ (WP)
Oustaz, Bentley Brown, Chad, 21’ (WP)
personne, Christoph Girardet & Matthias Müller, Germany, 15’ (WP)
Prelude to the General, Pimpaka Towira, Thailand, 11’ (WP)
Reluctantly Queer, Akosua Adoma Owusu, Ghana / USA, 8’ (WP)
Six Cents in the Pocket, Ricky D’Ambrose, USA, 14’ (IP)
Tsomet Haruhot (Winds Junction), Rotem Murat, Israel, 22’ (IP)
Die Unzugänglichkeit der griechischen Antike und ihre Folgen (The Inaccessibility of Ancient Greece and Its Impact), Gerrit Frohne-Brinkmann & Paul Spengemann, Germany, 13’ (WP)
Vintage Print, Siegfried A. Fruhauf, Austria, 13’ (IP)
Vita Lakamaya, Akihito Izuhara, Japan, 8’ (WP)